12/05/04

QUEREM FECHAR O TAPOR!, POR Flynt Eastwood

Ouvi hoje de manhã na rádio que um senhor, cujo nome não fixei, mas que faz parte da Alta Autoridade para a Comunicação Social, propunha o encerramento da blogosfera porque «os blogs são espaços de difamação das pessoas» (sic). Não sei se estou a difamar alguém, mas esta tal Alta Autoridade sempre me pareceu uma coisa anacrónica, a fazer lembrar os Comités de Protecção à Moral Pública do Nixon (os mesmos que estavam sempre a implicar com os Doors quando o Morrison passava das marcas. Deles, claro!).

Há muita coisa a dizer acerca de uma tal pretensão, mas só queria sublinhar que o raciocínio do senhor, para além de perigoso é completamente idiota.
Perigoso, porque eu prefiro correr o risco de me difamarem, a correr o risco de viver numa sociedade policial e securitária. Num estado de direito, uma vez difamado, ainda tenho o recurso de pedir contas em tribunal a quem me caluniou. Não de o silenciar. Se aquele raciocínio pegasse, seria o fim da civilização, tal como a conhecemos. Por isso é que, embora não me lembre do nome do senhor que propôs uma tal enormidade, eu não consigo deixar de pensar que ele deve ser ir a Mohamed qualquer coisa…
Idiota, porque o raciocínio é, em si mesmo, completamente falacioso. Equivale a propor o encerramento da televisão, da rádio ou da imprensa, porque alguns programas de televisão, da rádio ou da imprensa difamam as pessoas; a proibir o cinema porque alguns filmes são maus, a varrer o desporto porque há atletas que são violentos, a queimar os livros porque há alguns que são más línguas, a dinamitar as estradas porque os carros que nelas circulam provocam muitos acidentes, etc, etc. É uma indução completamente abusiva, que equivale a proibir o meio que se usa para comunicar,por causa do conteúdo de uma ou outra mensagem que é difundida nesse meio.
Pela minha parte dedico ao tal senhor Mohamed um filme de culto: The People Versus Larry Flynt de Milos Forman. Ele merece!

Sem comentários: