26/08/04

Carta do Grão Mestre de Monte Verga para António M., por Mangas

Mosteiro de Monte Verga, 27 de Agosto de 2004

Caro António M.:

Tendo cedido ao seu ardente desejo de celebrar, em moldes experimentais, a Eucaristia das vésperas no passado domingo, como forma de aproximar a sua alma perdida da beatitude e nela encontrar paz e afecto, não posso deixar de tecer alguns comentários ao que assisti. Se bem se lembra, recomendei-lhe umas gotinhas de vodka na água para relaxar a imensa ansiedade e desejo de servir a Deus que vi em seu espírito. Por tão grande equivoco me penitencio e rogo-lhe que para a próxima entenda as minhas palavras e não coloque umas gotas de água no vodka. Outros pequenos reparos:

- Não há necessidade de pôr limão e açúcar na borda do cálice;
- O missal não é, nem deve ser usado, como apoio para o cálice;
- Aquela casinha ao lado do altar era o confessionário e não a casa de banho;
- Quando ser referir aos 7 pecados mortais, faço-o de forma generalista sem exemplos práticos e sem citar pessoas, género “Gula / lambão do Vaice”, ou “Luxúria / entesoado do Nini”;
- As letras “RST” na lapela, ainda vá que não vá, mas o autocolante com o menino a mamar no biberão ao colo do mafarrico, não lembra nem ao próprio!;
- Sobre a aparelhagem de som: são aceitáveis os espirituais negros na abertura da celebração, mas para o encerramento, Marilyn Manson parece-me excessivo;
- Evite apoiar-se na imagem da Nossa Senhora e muito menos abraça-la e beijá-la;
- Existem na realidade 10 Mandamentos, e não 12;
- Os apóstolos eram 12 e não 7. E nenhum era anão;
- Não nos referimos ao nosso Salvador, Jesus Cristo, e seus apóstolos, como “J.C & Companhia”, nem a Nossa Senhora como a “Branca de Neve”;
- A água benta é para benzer, bom homem, não para refrescar a nuca;
- Nunca reze a missa sentado na escada do altar, muito menos com um pé em cima da Bíblia Sagrada;
- As hóstias devem ser distribuídas pelos crentes. Não devem ser usadas como aperitivo para acompanhar o vinho;
- Procure usar roupas debaixo da batina e evite abanar-se quando estiver com calor;
- Os pecadores vão para o inferno e não para a “puta que os pariu”!;
- A iniciativa de chamar os crentes para dançar foi muito plausível, mas fazer um combóio pela igreja é que não, pelos céus!;
- David derrotou Golias com uma funda e uma pedra. Nunca lhe foi ao cú;
- Evite chamar “cabra” a Maria Madalena, que também nunca foi podófila nem não passava os dias lamber os pés a Cristo;
- Não nos referimos a Judas como “filho da puta”;
- Nunca deverá tratar o Papa por “O Padrinho”;
- Judas não enforcou Jesus e o Bin Laden não tem nada a ver com esta história;

Pelos 45 minutos da missa que acompanhei, notei estas falhas. Lembro-lhe também que habitualmente, a celebração da missa leva uma hora e não dois tempos de 45 minutos cada. A terminar, despeço-me com votos cordiais que encontre o seu caminho entre os homens e no mundo lá fora. Recomendo-lhe novamente que medite e reze. Renuncie às alegrias da juventude, ao prazer, ao vinho também, ao Maia. E não se esqueça: a esperança é a última a morrer. Mesmo a da salvação. Deus guie os seus passos.

Grão Mestre de Monte Verga.

P.S.
Aquele sentado no canto do altar, ao qual se referiu como “paneleiro, travesti de saia”, era eu.

Sem comentários: