23/08/04

Filmes com estômago, por Herman Hoss

Para quem anda distraído, o Tapor é um blog de uma Confraria, quer dizer, de um grupo de marmanjos que têm como principal actividade civilizada o culto exagerado do vinho e da comida que lhe dá sentido. É pois essencial que aqui se desenvolva a cultura e a informação gastronómica. Decidi, por isso, postar um exercício de a que me dediquei numa noite de insónia, para espicaçar a memória dos aficionados: uma lista singela de alguns filmes que abrem o apetite. Deixei de fora a trilogia do Mestre Hannibal porque esse merece post aparte. Então aí vai:

CASAMENTO POR CONVENIÊNCIA – Green Card, de Peter Weir, com Gérard Depardieu e Andie Macdowell, de 1990.
Depardieu é um cozinheiro francês que vai conquistar a Macdowell, num casamento fingido para obter a legalização na américa. Cozinha para ela e bem.

LADRÕES DE BICICLETAS – Ladri di Biciclette, (Preto e Branco) de Vittorio Di Sicca, com Lamberto Maggiori, Enzo Staiola, de 1950.
Tem uma das cenas de comida mais cruéis do cinema. O filho do protagonista espreita um miúdo rico a emborcar com a família num restaurante um farto prato de massa.

PULP FICTION – Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, com John Travolta, Samuel L. Jackson, de 1994.
Tem várias cenas e diálogos deliciosos sobre comida. Lembro-me da apreciação e discussão sobre os hamburguers e os batidos e a sua qualidade e preço entre o Travolta e a Uma Thurman no bar-restaurante onde dançam o twist e ainda da cena mirabolante do Samuel L. Jackson a apreciar e a elogiar o Hamburguer dos gajos que vai matar a seguir enquanto recita de cor a Bíblia.

A GRANDE FARRA – La Grande Bouffe de Marco Ferreri, com Marcello Mastroianni, Michel Piccoli, de 1989.
Depois da Festa de Babette este é o filme sobre comida por excelência. 3 ou 4 amigos reúnem-se numa casa com putas dispostos a suicidarem-se praticando todos os excessos. A comida é o excesso base e circula com fartura por todo o filme.

FEIOS, PORCOS E MAUS – Brutti, Sporchi e Cattivi de Ettore Scola, com Nino Manfredi, Francesco Anniball, de 1976.
Um filme porco e negro, com várias cenas de comida sebenta engolida com todo o gosto e prazer pelo Porco-Mor, um pai nojento e cegueta de um olho que se mete com uma puta tamanho família.

A GUERRA DO FOGO – La Guerre du Feu, de Jean-Jacques Annaud, com Everett Mcgill, Rae Dawn Chong, de 1981.
A humanidade a viver nas cavernas e a lutar por bocados de carne e comida.

ERA UMA VEZ NA AMÉRICA – Once Upon a Time in América, de Sergio Leone, com Robert de Niro, James Woods, de 1984.
Tem uma cena deliciosa com comida em que um miúdo que espera na escada à entrada do apartamento de uma miúda gorda que lhe vai conceder os seus favores sexuais contra o pagamento de um enorme pastel de natas em cone. A miúda demora-se e o miúdo nas escadas vai rapando daqui e dali o bolo, enquanto pondera a gula e a luxúria. Acaba por sucumbir à gula e papa o resto do bolo.

DESEJOS INCONSCIENTES – Jamon, Jamon, de Bigas Luna, com Penelope Cruz, Stefania Sandrelli, de 1992.
Grande cena de luta até à morte entre dois rapazes armados com presuntos espanhóis.

BANDIDOS – Bandits, de Barry Lewinson, com Bruce Willis, Cate Blanchet, de 2001
Tem vários diálogos e cenas sobre comida, com a Blanchet a descrever o gosto e a boa comida que fez para o marido que vai sair, após o que ela parte tudo. Depois tem cenas de jantar em família com o Billy Bob Thornton a discutir a feitura da mesma com a dona da casa raptada.

A FESTA DE BABETTE .
Uma cozinheira francesa de renome permanece desterrada e incógnita na puritana e espartana Dinamarca do Séc. 18 ou 19. Quando lhe sai a lotaria faz uma refeição memorável para a aldeia onde está. Não se consegue ver sem ir comer.

NOVE SEMANAS E MEIA.
Mais do que conhecido. Um ícone do cinema sexual e gastronómico . A venda de morangos no Verão aumentou com a edição deste filme

O COZINHEIRO, O LADRÃO E A AMANTE DELE, de Peter Greenway
Julgo que é este o título do filme, mais coisa menos coisa. Tem banda sonora do Michael Nyman e uma cena delirante em que um dos personagens é cozinhado como um leitão e até se saliva pela sua pele estaladiça. Muito criativo um cozinheiro que empanturra um intelectual com os seus livros de culto.

SEM PERDÃO – No Mercy
Filme policial e de acção passado na cidade de New Orleans e nos pântanos do delta do Mississipi, com a Kom Basinger e o Richard Gere em fuga de um mafioso malvado. Tem uma cena memorável da Kim Basinger a comer e a chupar lagostins de rio cozinhados que os dois em fuga encontraram. Comem os lagostins em ambiente de grande tensão sexual.

TUDO BONS RAPAZES, de Martin Scorsese
Um filme de mafiosos sobre mafiosos. Tem como personagem principal o Ray Liotta numa descida progressiva até aos infernos. Entre outras cenas com comida e à volta dela, como os molhos especiais e as pastas especiais de que todos têm um segredo ou outro, há uma cena genial do chefe mafioso na prisão a cozinhar para os capos e a cortar alhos em fatias finíssimas com uma lâmina e a explicar que o segredo está no alho e na finura do corte. Pelo meio acho que manda matar alguém.

Sem comentários: