16/12/04

A PERGUNTA CHATA

Aviso prévio à navegação: este post não pretende ser uma provocação a ninguém. Ele é apenas a expressão sincera de uma dúvida que me tem assaltado. Dito isto, vamos ao que importa:

No âmbito da famigerada Operação Apito Dourado, foi notificado o sr. Jorge Nuno de uma série de acusações graves. Foi-lhe imposto ainda, um regime de coacção que o impede de contactar com, entre outros agentes, o próprio administrador da sad tripeira. Pasme-se! De entre as várias acusações, há uma que me chama particularmente a atenção: o sr. Jorge Nuno é acusado de ter «influenciado» o resultado de 4 jogos de futebol do campeonato transacto – dois em que participou o fcp e dois em que participaram outros clubes rivais. Os árbitros desses jogos estão, obviamente, suspensos da sua actividade desportiva e, também eles, sujeitos a medidas de coacção.

Até ao julgamento considero toda esta gente inocente. Mas, se por hipótese um pouco mais que académica, se provarem estas acusações, pergunto: é só o sr Jorge Nuno e os respectivos árbitros que deverão ser punidos – responsabilidade civil e criminal, entenda-se – ou a punição deverá ser também desportiva e atingir o clube de que o sr. Jorge Nuno é legítimo presidente? Ou seja, se se provar em tribunal que um participante no campeonato transacto fez batota, este não deve ser penalizado desportivamente? Sublinho em tribunal, porque, que eu saiba, não há mais nenhum presidente de nenhum clube da primeira divisão a responder em tribunal no âmbito da Operação Apito Dourado ou de qualquer outra similar.

Se estivéssemos num país normal, a resposta parecer-me-ia evidente: assim foi em França, com o Marselha de Tapie o qual, provada a batota, se viu obrigado a devolver a Taça dos Campeões Europeus, título ganho subterraneamente e, mais que isso, a descer de divisão na respectiva liga. Assim foi, também, em Itália, onde o grande Milan desceu de divisão porque se provou que alguns dos seus jogadores estavam comprometidos na forja de resultados para favorecer apostadores.

Mas como estamos em Portugal, eu não sei muito bem. Alguém que responda: se, e friso bem, se se provarem, em tribunal, os alegados crimes referidos na operação Apito Dourado, a punição deve ficar-se pelo plano criminal - e atingir só o sr. Nuno e os árbitros envolvidos - ou deve alcançar o plano desportivo – e atingir o fcp?

Sem comentários: