12/01/05

Sardanápalo, por AlquimistaDaDor

Entra-se naquela sala do Louvre e o olhar explode. Num estrondo de luz, cor e movimento, ao fundo da sala, um quadro enorme faz adivinhar tesouros, riqueza, comida, alegria e festa. Ao longe.

Visto de perto a coisa muda. É um quadro do romântico francês Eugène Delacroix denominado “A Morte de Sardanápalo”. São quase Quatro metros de largura por Cinco metros de altura. E se visto ao longe enche a alma de cor e alegria, visto ao perto e em pormenor, arrepia a espinha até ao nervo.

O quadro inspira-se num episódio bíblico que é a morte do sátrapa Sardanápalo da Babilónia, no momento em que este tendo-se visto derrotado pelo inimigo, resolve morrer matando. À sua frente, os seus fiéis soldados chacinam os seus três bens mais preciosos: os seus cavalos, as suas mulheres e os seus escravos.

Pormenorizando o olhar, vemos horrorizados que para lá da festa de luz, cor e movimento que ali reina a morte, o sangue, a violência e o desespero. Sardanápalo refastelado numa cama das mil e uma noites, que deixa adivinhar a contínua orgia da sua vida, abandona-se à morte numa última orgia, desta vez de Sangue.

O quadro na altura, foi considerado escandaloso e foi mandado retirar do Salão de 1827 onde devia ser exposto ao público. Considerou-se que era demasiado violento e orgíaco, demasiado Cruel, Sádico e Masoquista para o gosto do público de então. Hoje é considerado um Ícone Sadomasoquista. Na altura, não sabia tal, mas estive lá meia hora de boca aberta.

1 comentário:

Anónimo disse...

Cara, muito massa vc falar desses quadro pouco conhecidos. Mas me diga uma coisa: de onde tiraste q ele retrata um episódio bíblico? Só pra saber afinal tô fazendo um trabalho e mexeu com isso...outra coisa, vc sabe alguma coisa sobre uma obra Execução de Maria Stuart? Qualquer coisa, meu email para resposta é: patxizjoplin@gmail.com

Ei, boa sorte ai, ótimo blog!