20/07/05

Nunca jamais, de W. Saavedra, adaptado por Pelé Macho

Traduzido e livremente adaptado, aqui se deixa o seguinte poema, coma devida vénia ao seu autor, Walter Saavedra. Dedicado a todas as mulheres que teimam em não compreender o espectáculo mais belo do mundo. Ou, como dizia um grande técnico britânico, penso que o Imenso Brian Clough, «o futebol não é uma questão de vida ou de morte. É muito mais que isso».







Nunca jamais

Como podes saber o que é a dor se jamais um Guarda-redes te partiu a tíbia e o perónio.

Como podes saber o que é o prazer se nunca ganhaste um derbi

Como podes saber o que é chorar se jamais perdeste um derbi sobre a hora e com um penalti duvidoso

Como podes saber o que é o carinho se nunca acariciaste a redonda de “chanfle” tocando-a com o calcanhar para a deixar arfando debaixo da rede.

Como podes saber o que é a solidariedade se jamais saíste para defender um companheiro que foi pontapeado sem fé por trás.

Como podes saber o que é a poesia se nunca tiraste una “Gambeta”.

Como podes saber o que é humilhação se jamais te fizeram um túnel.

Como podes saber o que é amizade se nunca devolveste uma tabelinha.

Como podes saber o que é um orgasmo se jamais deste uma volta olímpica de visitante.

Como podes saber o que é o pânico se nunca te surpreenderam mal colocado num contra-ataque.

Como podes saber como é que é morrer um pouco se jamais foste buscar a bola dentro da baliza.

Como podes saber o que é a xenofobia se em nenhum estádio te gritaram “ negro de merda”

Como vais saber o que é a solidão se jamais te colocaste entre os dois postes a doze passos de um fuzileiro disposto a acabar com as tuas esperanças.

Como podes saber o que é a trave se nunca tiraste os pés de nada para mandar a bola pela lateral.

Como podes saber o que é o egoísmo se nunca fizeste uma a mais quando devias dá-la ao nove que estava melhor colocado.

Como podes saber o que é arte se nunca inventaste uma “rabia”.

(…) Como podes saber o que é a clandestinidade se nunca te passaram uma bola para que te aguentasses sozinho contra toda a defesa rival.

Como podes saber o que é a injustiça se nunca levaste um cartão vermelho de um árbitro caseiro.

Como podes saber o que é insónia se jamais desceste de divisão.

Como podes saber o que é o ódio se nunca fizeste um golo na própria baliza.

Como podes saber o que é a vida, mulher…! se nunca, jamais, VIVISTE EL FUTBOL.


Sem comentários: