31/08/05

As capas dos meus discos– Sticky Fingers, por Emplastro

Sempre achei que alguns covers são tão interessantes como alguma da melhor música que o vinil lá traz dentro. As atribulações dos vários covers de Sticky Fingers (Dedos Pegajosos) dos Stones é um exemplo disso, um testemunho sobre o eterno conflito entre a liberdade de expressão estética e a censura. No caso dos Stones os problemas com a censura não eram virgens. Uns anos antes, a capa original de Beggars Banquet (agora reeditada) que retratava o interior de um WC já fora censurada pela editora de então, a Decca Records. Mas a história repetia-se, desta vez com Sticky Fingers.

Sticky Fingers saiu em 1971 e é o primeiro álbum dos Stones para a sua própria editora, a Rolling Stones Records. A capa foi concebida pelo grande Andy Warhol. É a primeira das que ilustram este post, a famosa foto da breguilha, reza a lenda inspirada numa boca mandada a Jagger (o modelo foi um «cliente» da Factory do próprio Warhol, não Jagger).

No entanto o LP com a foto da braguilha já é uma versão relativamente recente da concepção original de Andy. De facto, na primeira versão, Sticky Fingers é lançado com um fecho éclair a sério que se podia abrir para satisfazer (ou não) as mentes mais curiosas.

Chega a ser lançada uma capa em que o fecho éclairé um coverde um segundo cover interior onde aparece a foto a cores das partes baixas de um gajo em cuecas (é a segunda imagem do post).

É claro que a produção de uma coisa destas não ficava barata e essa foi, sem dúvida, uma das razões para que os exemplares com o fecho fossem substituídos pela capa que todos conhecemos com uma simples foto da braguilha. Simultaneamente a raridade da primeira versão ganhou aura de obra artística e é, hoje, uma peça de colecção (vi um exemplar na exposição de Warhol, em Serralves, há uns anos atrás).

Mas houve outro problema com esta capa: a censura. A imagem, pasme-se!, foi considerada escandalosa e censurada em alguns países – como Espanha, por exemplo – o que obrigou os Stones a conceber um novo cover para Sticky Fingers, uma espécie de edição especial para países casmurros.

Pode dizer-se que a vingança foi total! Para os países que censuraram o cover de Warhol, os Stones saíram-se com a terceira das imagens deste post. Esta Visto à distância é claro que esta última, com os dedos nojentos na lata ensanguentada, é muito pior que a inofensiva breguilha. O que fica como uma marca do tempo: a mesma sociedade que se escandaliza com uma ténue alusão sexual não levanta objecções – a não ser de gosto – à exibição crua dos dedos ensanguentados a saírem da lata. Seja como for este cover é tão notável como o original. A concepção é de John Pasche, o criador da célebre língua stoniana, uma caricatura satírica dos lábios de Jagger, com simbologia satânica à mistura. Com o tempo, esta versão de recurso tornou-se uma das peças mais procuradas e bem pagas pelos coleccionadores de covers de todo o mundo. Se alguém tiver uma, esquecida no sótão lá de casa, guarde-a bem guardada ou dirija-se à delegação mais próxima da Christie`s. Pode ser que ainda ganhe o dia…

Sem comentários: