20/09/05

"O Lóbi", por Kzar

Image hosted by Photobucket.com
Tenho nos últimos dias vivido em estado de aterrorizada angústia. A somar aos problemas políticos que afligem a Nação, e nela todos os cidadãos movidos pela consciência cívica, tomei conhecimento, através da oportuna manifestação de uns senhores simpáticos vestidos de preto, de que ao cabo e ao resto existe mesmo aquilo que já há tempos o Sr. Alberto João apontara: um Lóbi gay!

Irra, já não bastava a maçonaria e mais a Obra, não falando no Klan que isso é lá nos States, agora vem outra seita para inquietar os já atribulados portugueses. Que ferro!

Assim obrigado a considerar estes novos perigos, lancei-me a cogitar sobre a forma como essa tropa se teria organizado. A primeira conclusão, evidente, é a de que tudo deverá passar-se no maior secretismo, à imagem das associações antes referidas - caso contrário os ditos senhores de preto não teriam sentido necessidade de denunciá-los em manifestação e os periódicos já teriam dado conta das actividades sociais da comandita.

A segunda, mais especulativa, e considerando que os ilustres membros deste novel lóbi terão maiores afinidades com a Loja do que com a Obra, por razões evidentes, é a de atrever-me a alvitrar que lhe seguirão igualmente os modelos formais e algumas práticas associativas.

Dito isto, formulo a hipótese de se reunirem em reservados edifícios, pela calada da noite, embuçados, abrindo-se as portas somente contra senhas de teor enigmático. Nesses covis fracamente iluminados, à luz bruxuleante de velas adquiridas em loja da especialidade, visionam o canal Taquilla XY, fazem combóinho, assistem a cerimónias oficiadas por grão-mestres de avental e cumprimentam-se com secretíssimos apertos de pila, cuja ignorância logo exporá eventuais espiões - eu sei lá! Tratar-se-ão então por Grão-Mestre, Irmãos e um largo etc., adoptarão nomes colectivos ao estilo Grande Traseiro Lusitano, Loja Naiónica de Portugal (Obediência Escocesa) e, sobretudo, conspiram incessantemente.

O que conspirarão eles, pergunta-se, lívido de assombro, o até agora confiado Lusitano? É certamente um nunca acabar de malfeitorias: subsídios vários e copiosos à Ilga, programas televisivos de propaganda ao ideário comum, alfinetadas maldosas em artigos de jornal, apoios mútuos na ascensão profissional e/ou política, referências subtis ou mesmo crípticas dirigidas a inimigos, insinuações; mais do que isso, projectam leis para se casarem uns com os outros e adoptarem virginais criancinhas de que fatalmente abusarão!

Ora, esta seita de anti-homofóbicos projecta, como todas, tomar o poder e impor a sua agenda - de sorte que um macho lusitano de lei tem de temer que venham a tornar obrigatórias as suas (suas deles!) normas comportamentais. Não passarão! Às armas! Às armas! Contra os naiões, marchar, marchar!

Vai daqui um fundo agradecimento à rapaziada de preto que, após alertar para o perigo de Portugal ser tirado aos portugueses, com tanto vigor e coragem denunciou agora esta tenebrosa conspiração para lhes alargar aspectos da anatomia que por tradição histórica querem manter rijamente apertados.

Sem comentários: