03/10/05

Aforismos, por Equécrates

Ontem fomos jantar. Durante o repasto tivemos que aturar os berros abomináveis de uma criancinha a quem a estúpida da avó torturou durante uma inteira e imensa meia hora, enfiando-lhe sopa com uma colher-funil pelas goelas abaixo. A cabra da velha não parava e a criança guinchava, gemia, suava, esperneava e voltava a espernear e a suar e a guinchar e a gemer e nós quase, também… Foi então que o Tiger, filósofo oficial de serviço da Real Confraria Esseponto do Tinto (nós), retirou do episódio a lição/aforismo que Pascal não desdenharia assinar. E assim disse e aqui fica lavrado:

- «A fronteira entre a inteligência e a estupidez pode ser medida por uma colher de sopa».

É verdade! E eu que nunca tinha pensado que a colher de sopa, muito mais que qualquer teste psicotécnico, podia ser declarada metro fidedigno e oficial do quociente intelectual das pessoas…

Sem comentários: