06/10/05

Anti Top Cartaz Eleitoral 2005, por Olho Vivo

E quem será o Fialho? O de Évora? Deve ter financiado o PS que agora aproveita os fundos da campanha eleitoral para pagar o favor. Diz quem sabe que o Fialho é mesmo de confiança, tem uns pézinhos de coentrada que são qualquer coisa!, e óptimos doces.. Mas, para não sairmos do Alentejo, eu até prefiro o Grémio, logo ali ao lado…

Pois! A diferença desta candidata é óbvia. Ela não é feia nem é bonita, diz a CDU. É diferente, simplesmente. Pois, digo eu…


O fundo vermelho sensual é completamente ruinoso. Acrescenta-se ainda a imagem da rosa, do botão de rosa, símbolos de paixão e fertilidade. Com este fundo, vemos o Tito a tirar os óculos e a dizer, com ar malandreco, que «Chegou o momento» e ficamos a pensar em quê? Em política não. Ficamos à espera é que ele tire a gravata, a seguir o casaco e que depois desabotoe a camisa e vá por aí adiante… Chegou o momento?! «Finalmente!», deve ter pensado a maria quando viu o cartaz, depois de tanto mês em jejum…

Com as eleições autárquicas vivemos um momento privilegiado para compreendermos um pouco melhor o país. Os candidatos a presidentes das câmaras e das juntas e afins são, afinal, genuínos ícones de Portugal. Os outdoors que enchem este país de norte a sul são uma manifestação insana da piroseira nacional, um testemunho eloquente de mau gosto e da total ausência de cultura estética que nos caracteriza. Em Barcelona ouve-se Mozart no Metro, por aqui curtimos cartazes indíziveis nas rotundas. A partir do excelente trabalho de recolha do blog http://blogautarquicas.blogs.sapo.pt/ , o Porco decidiu eleger os 11 piores cartazes das actuais eleições autárquicas, uma vez que, a julgar pela amostra, eleger os melhores é tarefa impossível. Nos próximos posts publicaremos regularmente o Anti-Top Cartaz Eleitoral 2005 com o respectivo comentário do nosso júri. Hoje foram estes três. Outros lhes seguirão.

Sem comentários: