08/11/05

França Está A Arder, por MenteContusa

França está a Arder. Esta é a notícia base dos últimos dias e a fonte de toda a comentarite que por aí reina. E após a constatação da fogueira, toda a gente desata a desculpar e a analisar e a propor medicinas prós incendiários descontentes. Do mero “coitadinhos” da moral cristã, passando pelo “excluídos” da psicologia, ao sociológico do “ascensor social”, de tudo por aí vai.

Ninguém se lembra do efectivamente arde. É que o que arde pertence a alguém. Desculpa-se e procura-se entender quem queima e a origem do porqué que queima, com tudo o que desculpabilizante vem a seguir, mas ninguém se lembra de que as achas da fogueira não são anónimas e não são terra de ninguém.

Cada um daqueles milhares de carros, centenas de lojas e dezenas de fábricas e armazéns, pertencem a alguém que deles vivia e que com eles alimentava a sua família. E muitas outras em cascata. Cada um daqueles bens destruídos e gratuitamente destruídos, alimentava de per si muito mais gente que os próprios donos directos. E não me venham com os seguros. Ficam a saber que ninguém tem seguros para aquilo. O seguro por mais completo que seja exclui sempre os motins, guerra e guerrilha. As seguradoras não nasceram ontem.

Era esta gente que perdeu o ganha pão, que foi gratuitamente arruinada e excluída quando lutou como ninguém para o não ser, que eu gostava de ver na televisão a ser entrevistada. Infelizmente o molotov na mão do jovemzarro bravio, rende mais que as lágrimas do senegalês da lavandaria que chora agarrado ao seu senhorio francês. Ambos perderam tudo. O jovemzarro diverte-se e arranja histórias para os netos.

Sem comentários: