16/11/05

Perguntita, por Chicken Boy

Ó grão, queria perguntar-te uma coisa, mas lembra-te que sou rústico e simples e há que ter compreensão com pessoas assim. A malta deve levar vinho no próximo jantar? Há prova cega? Não há prova cega, mas temos de levar na mesma? E se os outros levarem, eu tenho de levar também? E há jantar? E os jacarandás vão bem? E de que é que eu estava a falar ainda agora?

Tinóni, chicken boy

P.S. vocês já repararam como rústico é uma palavra curiosa? E bonita! Faz lembrar nome de povo da antiguidade, como Etrusco. Bom, a verdade é que existiram mesmo, e tenho em casa um conjunto de documentos que o provam: “Lendas e Narrativas dos Rústicos”, “Mitologia dos Rústicos”, “Os Rústicos, A Civilização Perdida”, e “Crónica da Conquista do Território Rústico Por Júlio César”. Sim! Porque os rústicos eram um povo avançadíssimo, mas pacífico! E os romanos, que por eles só tinham a força das armas, ficaram com inveja da sua gloriosa civilização, e, para os humilhar, passaram a chamar rústicos a toda as pessoas que queriam insultar. Vejam, por exemplo, este delicioso diálogo que retirei de um exemplar de Diário das Sessões do Senado: “Ó Caius Germanicus, você é um rústico, homem!” “Rústico será o pai de Vossa Excelência, ó Titus Britanicus!” Está claro que os verdadeiros rústicos ficaram tão envergonhados que morreram de desgosto! Todos? Não! Eu sou o último dos verdadeiros rústicos, porque descendo em linha directa do último Rei dos Rústicos, e tenho muito orgulho nisso. E depois, os Rústicos nunca gostaram do sakamoto.

Sem comentários: