14/12/05

Conclusões sempre a abrir, por Cão

As diárias ratinhações a que gostosamente procedo pelo nosso Tapor gostosa e diariamente me levam a conclusões tão imbuídas de desasossego quão de tragicomédia.

1 – Somos verdadeiros Portugueses (como receava Salazar, apostava Eusébio e dizia Molero);

2 – Somos maus Europeus (comemos hambúrgueres de sardinha, chamamos “estadista” a Reagan e vamos ser 47.8% por Cavaco);

3 – Somos maus Norte-Americanos (de evidente extracção indígena, acudimos no cinema pelos cowboys judaico-irlandeses);

4 – Somos maus Espanhóis (gozamos à brava com os planos IdioTGV e IdiOTA, enquanto o Ronaldinho Gaúcho e o Deco, esses enormes talentos nuestros hermanos do nosso idioma nos honram o sertão e o passado bandeirante, ou coisital).

5 – Somos maus Bloggers (o Automotora vem para aqui dizer que mostra a pila a criancinhas nas casas-de-banho dos pais delas, o Mumbly dá mais topadas no desporto do que pedreiros em cacos de tijolo, o Kzar refocila nos bigodes do Josef da Geórgia e nas gengivas purulentas do Mão Zedong enquanto zurge a marteleta de pinho, o Mangas borra-se todo de cagufas imaginárias, o Jkim colecciona sacos de cabelo judeu, sapatos judeus, cremalheiras dentais de judeus, braceletes de ouro de judeus, números 33 da livros do brasil - diários de anne frank, listas de schindler, simons wiesenthais e processos de nuremberga, o coiso lembra-se de citar o nietzsche, o nietzsche que já morreu fica refodido e invoca o tinoni, que tinha acabado de puxar o peru em vez do autoclismo e chama nomes ao derviche, cujo fica mau como é costume e começa logo a dizeresta-merda-não-pode-ser-esta-merda-não-pode-ser-o-tapor-anda-cheio-de-vizinhos-e-de-clientes-meus vai o vaice, a gozar, diz, quais-clientes-pá-?, o centurião desata-se a rir e diz, uns-que-eu-deixo-cair-do-cesto-dos-papéis, o derviche, já roxo, desliga o blog, tirem as vossas conclusões.

Sem comentários: