24/12/05

Oh no, not again!, por Apocalipse

Li nos jornais que o governo do Sócrates se lembrou de avançar para as portagens pagas no acesso ao centro das principais cidades portuguesas: Lisboa, Porto e Coimbra. Não, não foi com a luz verde final para a construção do Hospital Pediátrico, o mesmo que custa 1 klm de TGV... Foi mesmo com portagens. Deixemos os casos de Lisboa e do Porto, sem dúvida, as principais cidades nacionais. Mas Coimbra, fónix? Porquê Coimbra, carago?

Passo o tempo a ouvir que fomos ultrapassados em todos os indicadores económicos, sociais, empresariais, demográficos, etc, etc, por cidades como Braga, Setúbal, Faro, Aveiro e a grande faixa urbana da cintura de Lisboa… Todas estas áreas têm, sem dúvida mais poluição que Coimbra. Mas quando é para a desgraça lá voltamos nós a ser considerados a terceira cidade.

Pontes megalómanas, CCBs, Expos, auto-estradas scuds sem portagens e outras benesses são para os outros. Para isso nunca somos grandes. Mas para levarmos com a co-incineração e agora para isto das portagens na Ponte de Santa Clara já estamos de nvo no pódio. Não deixa, até, de ser curioso, como o sócrates, tão preocupado com a nossa saúde, nos quer proteger dos gases dos automóveis por um lado, mas, por outro, quer à força toda co-incinerar-nos resíduos tóxicos perigosos mesmo à porta de casa. Mas que mal é que nós, aqui em Coimbra, fizemos a esta assombração que nos governa?, arre, fónix, que não há pachorra…

Sem comentários: