01/01/06

Squeal, Boy!, Squeal!, HAPPY BIRTHDAY ao PORCO, por Presunto Implicado

Hoje, dia 1 de Janeiro de 2006, o Tapornumporco, Porco prós amigos, faz Dois anos. Depois de um primeiro ano de nascimento e aclimatação, o jovem Leitão, transformou-se neste segundo ano num excelso Porco de Engorda rápida. E aqui vamos continuar a refocilar com força e vontade até ao 3º aniversário, altura em que se alcançará a idade porcina adulta e o estatuto de Varrasco! Inch`Allá! Ou, assim o queiramos nós, que como diz o John Steinbeck e bem o relembrou o Luzi: “Uma Oração nunca deu carne a ninguém. Para isso é preciso um Porco!.”

Se em 2004 o Porco fez 241 Posts, neste ano de 2005, o Porco excedeu-se com 302 Posts, sendo agora o maior postador o Mefistófeles com 86 posts, seguindo-se o Derviche com 75 posts e em terceiro lugar o Luzi com 40 posts. Vêm depois o Cão e o Mangas, taco a taco, um com 21 posts neste ano e o outro com 20.

Numa segunda divisão, temos o Jótta com 15 posts, em luta frenética com o Automotora (filho pródigo) com 14 posts, logo seguidos do Kzar com 11 e do Nemo com 4. Contámos ainda com a breve presença do Mister, Nikki, Xeko e Mau, todos com dois postezitos cada. Ah, o Nini fez um, post, entenda-se. E saúda-se a estreia no Porco do Grande Beaujolais, em quem se depositam grandes esperanças para 2006. Vindos de fora contámos com o Goldmundo e a Kazinha que ajudaram a manter o Porco de carinha lavada.

De Contos a Viagens, do Porno à Literatura, dos Ìcones à Luta AntiSócrates com passagem pela Pintura, Exercícios de Estilo, Vinhaças e Comezainas, o Porco teve cá de tudo como sempre. Recordo aqui alguns dos Posts que considero de Antologia e relembro algumas polémicas. Começo pelo “O Vinagre” do Automotora, que é a nossa e só nossa, eterna mistura de Calvino com Boris Vian. A pena do mestre é explosiva e o homem parece ter voltado com vontade. E relembro do mesmo Automotora a melhor e mais polémica receita de “Bacalhau com Hortelã” de que há memória no culto ao gadídeo.

No Porno passámos pelo Ron Jeremy, pelo John Stagliano, pela Gina e finalizamos com esse grande combatente da liberdade que foi o Harry Reems.

Na eterna Babel da Livralhada falámos de Amin Maalouf, de Umberto Eco, Yasunari Kawabata, Guy de Maupassant, Herman Hesse, Sade, Saul Bellow, Franz Kafka, Dan Brown, Bruce Chatwin, Juan Rulfo, Ítalo Calvino, Paul Loup Soulitzer, Luís Sepúlveda, William Faulkner e Luiz Pacheco. E tudo com Cão, com muito Cão, que foi aproveitando para rosnar à América, morder no Busch e espalhar raiva assassina por tudo o que cheire a stars and sripes.

E relembro as polémicas do Seinfeld, com o Mefistófeles e Derviche de um lado e o impío Automotora do outro, a polémica do Luzi contra tudo e todos sobre a Puta no Panteão, e a traulitada geral sobre o fascínio das putas que toda a gente explicou e cascou. E como esquecer a deliciosa tese do Mangas sobre a verdadeira relação base do Casablanca entre o Rick e o Chefe de Polícia, qual Bergman, qual carapuça, paneleiragem é que aquilo é. E o Mangas voltou à carga com a benemerência do velho Corleone contra a má figadeira do Al Pacino, relembrando com polémica e nova visão o Mestre Coppola.

O Luzi polemizou com as touradas e conseguiu chatear o Vizinho que deixou de vir ao Porco. Elogiou-se o El Fandi e cascou-se nas touradas o que motivou o agrado da Didas. O Mefistófeles fascinou-se com o grande desígnio dos Salmões e espojou-se nas suas quintas com os cartazes das autárquicas. E Coppola, voltou em polémica sobre o Apoccalipse Now Redux, com o Derviche contra toda a mouraria capitaneada pelo Mangas. Mas a polémica mais forte do Porco, foi a que desentendeu o Cão e a Didas, sobre a eterna Hortografia, mas no final Adidas tinha razão!

Nos Ódios de Estimação reinou o Santana e o Sócrates, mas não escaparam os Comedores de Tartexes, o Carrilho, a Co-Incineração e o Jorge Sampaio. E viajou-se com gala e fulgor pela Tomatina, pelo Torpedo, por Goran Bregovic e até pela Serra Leoa.

Apresentou-se o Alce e a seguir o MancaMulas que motivou a maior dissensão da história do Porco, só resolvida com uma das maiores comezainas da história da gula.

Explicámos o Squeal Boy, Squeal e o Good Luck Mister Gorsky, o Tenzing Norgay, a Alamut e a Seita dos Assassinos, a Faculdade da Irrelevância Comparadas e demos ainda um curso completo de Oximórica e não nos fomos embora sem explicar os Vinhos Puta, o Got Milk? e a La Mano de Dios!

Pelo meio o Kzar descobriu os vinhos brancos e os chineses, blasfemou-se com o Onan, e a Lei do Levirato, e chafurdou-se nos Negalhos em verdadeira batalha campal, jabardeira só ultrapassada com a polémica sobre o Henry Rousseau no Panteão da Eternidade e ainda deu tempo para explorar O Medo pela mão do Beaujolais e do Mangas. E chega, pra já…

Hoje fazemos anos. Gostamos de cá estar e gostamos das vossas visitas. O Porco é cosmopolita e quer chegar a Varrasco ou mesmo a Pata Negra. Espera assim continuar a contar todos aqueles que diariamente nos visitam, com um especial apreço por quem faz Groink! E como sabem, um bom Groink, dá Post no Porco.

No mais, importa dizer que a Inha está enganada, o orgasmo do Porco não dura 30 minutos, não senhor, O nosso dura há dois anos!

Sem comentários: