02/03/06

Padaria Woody Allen, por Padeira de Aljubarrota

Este fim de semana fui à padaria. Que é como quem diz: fui ver Match Point, o excelente filme de Woody Allen, recentemente eleito o melhor padeiro do cinema contemporâneo.

Aqui há uns tempos atrás escrevi aqui no Porco um post entusiástico sobre a bela Scarllett Joahnsonn. Estehttp://tapornumporco.blogspot.com/2005_11_13_tapornumporco_archive.html
11_13_tapornumporco_archive.html

Como podem ler eu defendia então que a bela Scarlett é, c´est, u, uhum, bien, ela é absolutamente aham, isso e por aí fora… Nos comments de então, o nosso eterno Mangas sentenciou «que não»! A Scarllett é, para ele, trovejou!, definitivamente «um pãozinho sem sal»!!!!

Haver um de nós que diga uma enormidade destas e sobreviva para poder contar o feito é, por si só, revelador do elevado espírito ecuménico que caracteriza a malta do Porco. Mas nós somos assim. O Mangas é que nunca mais se livrou do que disse, embora tentasse amenizar justificando que o estilo dele «é mais Rita Hayworth»…

Scarllett Johansson fez um papel mais ou menos discreto em Ghost World com aquela pinta de teenager blasée. Mas em Lost in Translation – quanto a mim, o seu melhor desempenho - ela é fenomenal! Hollywood reparou nela neste cult movie de Sofia Copolla e começou logo a tratar de construir um novo mito: Girl with a pearl earring, dedicado ao célebre quadro de Vermeer já vive quase exclusivamente dela. O filme procura reproduzir a luz do barroco flamengo, cada cena é uma tentativa de aproximação ao ambiente pictórico do próprio Vermeer, mas é Scarllett a alma de tudo aquilo. Os grandes planos do seu rosto são inesquecíveis. Comparem a beleza da foto de promoção do filme e o quadro do génio holandês: se Vermeer tivesse podido pintar Scarllett, a sua Rapariga com Brinco na Orelha tornar-se-ia o retrato mais famoso da história da pintura.

Woody Allen, o padeiro, fez o agora o resto. Matou definitivamente a miúda desengonçada de Ghost World, acabou de vez com o fascínio sereno e frágil da menina de Lost in Translation. Ãllen continuou Girl with a Pearl Earring, fixou-se de novo no rosto de scarllett johansson e filmou-o, filmou-o, filmou-o em vagas sucessivas de grandes planos. Resistiu à tentação de reduzir Match Point a um vulgar Nove Semanas e Meia (Allen não é Adrian Lyne e ainda bem), mas é inquestionável que o reallizador/padeiro está notoriamente seduzido pela força da actriz. Scarllett Johansson transforma-se aqui na sex symbol da década. A cena do vestido branco, a da chuva ou a do encontro no bar são sem regresso.

Não sei, embora tenha gostado muito de Scarlett em Match Point, sinto uma certa nostalgia da menina perdida de Lost in Translation… Agora ela está mais perfeita, etérea, divina... Perdeu um pouco o seu lado terreno. No fundo, talvez o espertalhão do Mangas tenha tido alguma razão quando lhe chamou «um pãozinho sem sal». Bom, isso também é um pouco herético, mas eu diria que o padeiro do Woody a meteu num forno a arder, lhe acrescentou uns ingredientes e fez dela não um pão e muito menos sem sal, mas uma verdadeira obra prima da indústria da gastronomia: un chef d`ouevre, talvez seja isso…

Ah, quanto ao filme, gostei muito, é muito bom, é mesmo o melhor Allen desde Manhatan, mas que importa isso?Vemos óptimos filmes tantas vezes...

Sem comentários: