05/05/06

Coimbra B, por Duende-que-Caminha

O tempo torna-nos exigentes. Dantes qualquer espelunca servia para comer – agora não é qualquer restaurante que me satisfaz, longe disso. Quando andava na faculdade fazia campismo selvagem e viajava à boleia. Agora torço o nariz a menos que 3 estrelas. E os vinhos que eu bebia, meu Deus, e agora não tolero nada abaixo do esteva…

Quando comecei, há já uns anitos, a fazer a viagem de comboio Coimbra-Porto, por razões profissionais, eu chegava à bilheteira e pedia, simplesmente:
- Um bilhete para o Porto de ida e volta para voltar às 4.15.

Entretanto muita coisa mudou, eu próprio mudei e o meu conhecimento das condições óptimas de conforto em viagens de comboio também. Passei a pedir:
- Um bilhete para o Porto no Alfa das 10, ida e volta, com regresso no alfa das 4.15 em carruagem de não fumadores e lugar junto à janela, se possível. E uma factura, se faz favor.

Depois a CP continuou a mudar algumas coisas, como por exemplo, quando inovou com aquela solução à portuguesa de acabar com carruagens para fumadores com a excepção do hall da carruagem 6 onde se pode fumar à vontade. Claro que, na prática, isto faz da carruagem 6 uma carruagem cheia de fumo do tabaco de todos os passageiros que vêm das outras carruagens. E por isso agora eu peço:
- Um bilhete para o Porto no Alfa das 10, ida e volta, com regresso no alfa das 4.15 em carruagem de não fumadores e lugar junto à janela, se possível. Passe-me uma factura e não quero ir na carruagem 6 (às vezes o tipo do lado de lá pergunta porquê e eu tenho que perder mais uns preciosos minutos a explicar-lhe a bizarria da solução da CP).

Por este andar, ainda perco o comboio. Já faltou mais para o dia em que ainda hei-de ser obrigado a escrever um ensaio de 300 páginas para pedir um simples bilhete para o alfa do Porto!

Sem comentários: