31/05/06

Yann Tiersen, por Xeko

Apesar de já conhecer "Les Retrouvailles", que é a sua última obra, achei que seria curioso vê-lo ao vivo. Foi o que fiz, no passado dia 19 de Maio, na inauguração do Centro de Artes e Espectáculos de Portalegre. A sala estava repleta, atraída, por certo, pela banda sonora do filme de Jean-Pierre Jeunet, "Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain". Da minha parte, as expectativas eram grandes, mas fiquei entusiasmado com o que vi e ouvi.

Impressionou-me a maneira como Tiersen explora cada instrumento, a intensidade com que o faz. Além da sua versatilidade, o experimentalismo na forma de associar sons antagónicos. Como seria de esperar, Yann Tiersen percorreu a sua obra, iniciada em 1995, mas fez mais do que isso. Foi ousado, pois não se limitou à reprodução dos sons dos seus registos, tal como são conhecidos.

Interpretou-os de forma bem diferente, com arranjos inusitados e luzes insinuantes, de tal modo que não foi fácil reconhecê-los, pois tomaram uma textura sonora diversa. Proporcionou momentos de quietude, soturnos e sombrios, com abordagens explosivas, dinâmicas e enérgicas, abrangendo um vasto espectro musical.

Apesar deste último trabalho contar com a presença de Elizabeth Fraser (Cocteau Twins), de Jane Birkin e de Stuart Staples (Tindersticks), o imaginário sonoro de Yann Tiersen perdura, destacando-se pela sua originalidade. A sua música é, de facto, única e inconfundível. Mas o concerto, esse, foi mesmo sublime...

Sem comentários: