06/06/06

Cavalinhas De Puta Aberta, por Kzar

E por falar em cavalinhas marinadas:

Deixa lá o vinagre.

Escolhe cavalinhas pequenas; estripa, descabeça e remove a película; tira a espeinha pela barriga, ficando as putas abertas como bacalhaus; polvilha com flor de sal; finíssima e evanescente nuvem de pimenta para cima; alguma salsa, finamente picada, com que salpicar as ordinaronas; cruzar alguns fios de azeite (grosso, ácido, daquele esverdeado); enfim, espremer limão a gosto por cima das cabronas, como elas merecem; duas horitas de frigorífico, primeiro tapando com película plástica; servir quando os bordos dos filetes dessas putéfias estiverem esbranquiçados, sinal patognomónico de que o ácido do limão fez o seu serviço.

E depois diz-me lá se fizestes as suficientes para a seita que convidares.

Esta receita tem um condão: também vale para petingas, jaquinzinhos, biqueirão, anchovinha e basicamente para tudo quanto é peixinho miúdo, e até e especialmente com filetes de robalinho, fazendo-se variações entre salsa e coentros (a usar com parcimónia, senão fica tudo a saber só a isso) ou outras ervas - parecendo que não, a hortelã e os orégãos (frescos!) são de elevado potencial.

Quem é amigo, quem é?

Sem comentários: