10/06/06

Os Meus, por Alcatraz

Tou farto! Já não os posso ouvir nem ver e parece que crescem como moscas em dias de calor. Toda a gente tem os seus ódios de estimação e eu também tenho os meus. É verdade que não me deixam indiferente mas é só por uma única e simples razão. São símbolos do Portugal medíocre e pacóvio em que vivemos, ainda por cima, símbolos com ares de superioridade. A personalidade individual deles não me interessa nada. Mas irrita-me que gente desta seja um sucesso. Não por eles, coitados, que sejam felizes, mas porque o seu sucesso é o indicador desesperante do estado a que Portugal chegou. Batemos no fundo – é isto que eu vejo quando um destes inanes aparece na TV, na rádio ou na revista da moda a ufanar-se da sua superioridade.

Há alguns que já nem ouço de todo, a maior parte em minha casa não fala: mudo logo de canal, zapo, viro a folha do jornal… Mas eles andam aí! Eu sei que sim. E são perigosos. Deixo-vos a lista de alguns dos meus, dos principais, que me lembre agora:

1 – É um ódio de estimação colectivo: a família Sampaio. O pai sampaio chegou a PR e tá tudo dito quando um indivíduo especializado em discursos redondos e distribuição de medalhas avulso, chega ao cargo do Mais-Alto-Magistrado-da-Nação. É a falta de qualidade em todo o seu esplendor ele, mai-la a família, a ex-primeira dama com o seu complexo de não ser uma gaja boa, o filho jovem velhinho que aos 14 anos já vestia como se tivesse 50 e que agora até já tem um cargo importante qualquer (viram?), e o Daniel Sampaio, sumidade em banalidades e barbaridades ditas com ar douto…

2- O santana. Disse que anda por aí, mas ninguém o vê. Também com as reformas que conseguiu á custa da política nem precisa de aparecer. Mas eu até acho que esse dinheiro é bem gasto, desde que não tenha que o aturar nos meus jornais e na minha TV. Eu pago.

3- Os pequeníssimos, valter lemos, distração da natureza e a zombie da ministra da educação, uma das pessoas cuja imagem melhor exprime a desolação do seu pensamento (?).

4 – O eduardo sá ou só, não sei bem, outro bacoco, especialista em inanidades ditas com um irritante tom de voz doutoral, como se os que ainda o ouvem fossem todos uns atrasadinhos coitadinhos, a quem tem que se explicar o bê a bá. Um desastre comunicativo, um dos que em minha casa não abre a boca.

5 – Uma maré negra colectiva de apresentadores de programas da tv de ar espertalhote e graçola fácil. Chamam-se júlia pinheiro teresa malato merche guilherme jorge romero gabriel mais umas serigaitas satélites cujos nomes não fixei.

6 – Os não existentes big brothers e os astrólogos e astrólogas. E os costureiros, actuais criadores principalmente em versão fátima não me lembro do apelido.

7 – Os comentadores desportivos residentes que já nem posso ouvir, mesmo que sejam do Benfica.

8 – O cómico do Valentim, só possível cá, o jorge nuno e os oliveirinhas. O polvo.

9 – O vaidoso do mourinho que qualquer dia cai de cima do ego e dá um trambolhão que nunca mais se endireita.

10 – O jorge coelho e o um antigo que já mal se vê, o Zé Magalhães, defensores do indefensável, espécie de taxistas intelectuais que alugam o cérebro ao kilómetro ao partido.

11 – O imortal nuno rogeiro que entre nós aqui no Porco já deu origem a um neologismo, o verbo rogeirar que significa botar faladura sobre tudo e mais alguma coisa mesmo daquilo que se ignora profundamente.

12- E, finalmente, o inenarrável sócrates, limite absoluto da pequenez travestida de arrogância e da vacuidade mental e um insulto ao filósofo homónimo. Mas a este não se consegue desligá-lo e é uma pena.

E os vossos quem são?

Sem comentários: