21/01/07

As Faces de Jesus, por Catequista Complicado

Houston Chamberlain (1855 - 1927) nasceu inglês, casou com a filha de Richard Wagner e naturalizou-se alemão. Foi um dos teóricos do racismo moderno, defendeu a superioridade ariana e lançou as bases do antisemitismo. Para Chamberlain, Jesus Cristo era ariano.
Em Dezembro de 2002, a revista Popular Mechanics procurou saber como seria o verdaeiro rosto de Jesus Cristo. Baseou-se no trabalho de alguns especialistas consagrados que já tinham empreendido esforços semelhantes no sentido de reconstituir a face de outras figuras históricas.
Os resultados, ainda que polémicos e muito discutidos, não podem andar muito longe da verdade. O ar pouco familiar com que olhamos para a face reconstruída de Cristo mostra como os disparates de Chamberlain persistem adormecidos sob a capa da nossa consciência colectiva, esse domínio obscuro onde as teorias racistas se enraizaram, dando depois origem às mais negras páginas da história da Humanidade. Nem Chamberlain surgiu do nada, nem os seus disparates se dissiparam totalmente. A estranheza com que olhamos para o rosto provável da personagem mais marcante da nossa Civilização prova isso mesmo. Tal como o estereótipo inventado para corporizar Jesus Cristo no filme de 1973 inspirado no musical de Andrew Lloyd Webber e Tim Rice prova exactamente o mesmo. Refira-se que a caracterização da personagem desempenhada por Ted Neeley se inspirou no fresco de Leonardo sobre a Última Ceia, pois foram os mestres do Renascimento italiano e flamengo que «arianizaram» Jesus Cristo.
FREDRICKSON, George M. : Racismo. Uma Breve História; Porto; Campo das Letras; 2004; p. 137.

Sem comentários: