06/06/09

Contra o Voto em Branco, por Mancha Negra

Para aqueles que – e não tenho dúvidas de que, pese embora os resultados das misteriosas sondagens, somos a maioria - queremos varrer com os xuxas do poder, a única questão que se coloca nestas eleições é: qual o voto mais eficaz para conseguirmos correr com eles?

A questão, uma vez na vida, já não é se os outros são melhores. Piores não podem ser por impossibilidade ontológica absoluta. Portanto, nestas eleições, não está em causa nenhum «projecto europeu», nem a qualidade de um candidato em especial, nem a superioridade de uma ideologia, nada, a não ser limpar o panorama político do lixo xuxialista. É uma questão nuclear: trata-se, literalmente, de encontrar a maneira mais eficaz de exterminarmos os xuxas! É assim que deve colocar a questão, quem, como eu, quer, sinceramente, livrar-se do pior governo e do pior vírus político que varreu Portugal desde que tenho memória política.

Colocada a questão com esta crueza meridiana, creio que é de afastar o canto das sereias que por aí anda e que apela ao cómodo voto branco como voto de protesto. É um erro tremendo que nos pode custar muito caro!

Em primeiro lugar porque o voto em branco interessa a quem? Aos xuxas, claro. Objectivamente um voto em branco é um voto no ingenheiro. Estão em jogo 21 lugares no Parlamento Europeu, se não estou em erro. Se se verificarem 65% de votos em branco e em abstenções (sondagens) segue-se que o ps, ainda segundo as sondagens, elege 9 deputados, um a mais que o psd e os outros são para os pequenos partidos. Objectivamente os 65% que vão votar branco ou abster-se se votassem noutro partido qualquer, pura e simplesmente, varriam os xuxas! Eu repito: varriam-nos!
Mas se votarem em branco eles ganham as eleições! É portanto muito simples: se querem que os xuxas percam é só não votarem em branco. Os indefectíveis do aparelho e os seus clientes garantem-lhes a eleição. Eles agradecem. Farão depois o choradinho do costume, tipo «estamos muito preocupados com a abstenção e com os brancos e etc e tal», mas em privado esfregam as mãos de contentes que esta já cá canta, ó vital passa aí o camarão… E não me venham com a treta do «significado simbólico do voto em branco» porque isso dá para tudo e cada um enfia a carapuça que quiser. Os xuxas dirão, certamente, que o voto em branco é culpa da oposição destrutiva, ó vital passa aí o champanhe…

Uma das provas mais elucidativas de que o voto em branco interessa aos xuxas é vermos quem defende tal opção. Não é por acaso que personagens do regime como o inenarrável marinho pinto e o vitorino xuxa já vieram a terreiro defender o branco. Marinho pinto a sustentar que é uma arma de protesto político (é pena é que seja uma arma de pólvora seca); e o Vitorino xuxa defendeu a superioridade moral do branco sobre a abstenção (como se essas fossem as duas únicas possibilidades). Convém-lhes, claro, mas aposto que nenhum deles vai votar em branco...

Este discurso de defesa dos brancos convém ainda ao simpatizante xuxa anónimo. Este apelo cai bem nas consciências pesadas daqueles que passaram os últimos anos a defender os xuxas, mas que agora têm pudor em votar neles, sem que, contudo, tenham a coragem suficiente de serem coerentes, assumindo o voto pêsse. Pessoalmente, respeito mais os que sempre defenderam os xuxas e que agora, coerentemente, vão votar neles do que aqueles que passaram o tempo a defendê-los e que agora vêm muito enojados, coitadinhos, defender o voto em branco. Assumam-se, fónix! Este é o tipo de gente pequenina que, enfim, me mete nojo…

Além disso o voto em branco não vale nada porque não é durável. Se acontecesse uma percentagem brutal de votos em branco, coisa em que não acredito, daqui a alguns meses já ninguém se lembraria. O que perdura são os lugarzinhos com os seus eurodeputados lá sentadinhos. O que perdura são as vitórias e as derrotas nas eleições. Passados os dois dias de choradinho e o respectivo «prós e contras» na televisão pública dedicado à qualidade da democracia, já ninguém ligará aos brancos. Mas a vitória xuxa, essa aí estará, se não votarmos contra eles, com uma duração de quatro anos.

Resta ainda que o voto em branco só faria sentido se correspondesse a algo de efectivo, por exemplo, se uma certa percentagem de brancos implicasse a vagatura de x mandatos. Mas não é assim, os lugares são sempre preenchidos, quer haja um quer hajam milhões de votos em branco. E enquanto não mudarem as regras, os brancos não são mais que uma miserável vitória de Pirro.

Em suma, não chega, de modo algum, votar em branco. É preciso ir lá e votar contra o socas. Há que votar! Votar à esquerda ou à direita mas contra os xuxas! E eu votava nem que fosse no emplastro, no tatonas, no batatoon, só para tirar a clique xuxialista do poder. Aqueles que querem REALMENTE correr com o socas e com os seus muchachos só podem ir votar contra eles. Onde quiserem mas CONTRA eles. E aqueles que dizem estar fartos dos pêesses, mas, ainda assim, aconselham o voto em branco, das duas uma: ou são ingénuos ou são xuxas (mais ou menos decepcionados, mas sobretudo, xuxas). Agora fiquem em casa ou votem em branco em vez de votarem contra eles… Depois não se queixem!

22 comentários:

Branco Português de Negócios disse...

branco branco branco branco

Anónimo disse...

branco é xuxa !

Jorge Duarte disse...

E o que tem a dizer sobre o voto nulo? Qual a diferença prática entre o voto em branco e o voto nulo?

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

Não conhecia este blog. Cheguei a ele através de um comentário no "Educação do Meu Umbigo". Vai já para os meus links.

Só um acrescento: votar PSD é o mesmo que votar PS. O pacto entre eles é "vocês fazem o mal, nós aproveitamos, e depois revezamo-nos".

Branco Branco Branco Branco disse...

Boa, José Luiz. É isso mesmo.

Contra o Mancha Negra por Voto em Branco disse...

branco branco branco branco

Anónimo disse...

Jorge Duarte: na minha opinião não há diferença prática entre brancos e nulos. Existe eventualmente uma diferença simbólica que, para mim, neste caso, pouco importa pelas razões que expus no post.

José Luís: Bem vindo. Aparece mais vezes. Não pretendi entrar no post na discussão sobre o partido em quem votar. Deixo isso ao critério de cada um. Agora não há dúvidas é que, para quem quer correr com estes índios, não pode cair no canto das sereias do voto em branco.
MN

Anónimo disse...

Mas será que com seriedade alguém pode esquecer os anteriores governos de Durão e Santana? Mas houve pior? O Santana até aviões do estado utilizou para passar fins de semana com seus amigos "Pdros Pintos" e Cª em certos países bálticos para aprofundar os laços de "amizade" com as raparigas desses países...
Caso o socrático não tem tido uma obcessão chamada défice (desceu para os 2,5%) queria ver quantos desempregados teriam subsídio de desemprego. E quem deixou o défice na casa dos 7%? E quem quer privatizar a CGD? Tb queria ver o que sucederia se neste contexto de crise se a CGD fosse privada. As pessoas não são assim tão burras.

eu nunca disse...

são burras são. basta terem votado psd e ps estes anos todos. burras como testos.

RAZÃO disse...

MANCHA: VÊS COMO O VOTO EM BRANCO DEU CABO DOS XUXAS? VÊS?

manjedoura disse...

O voto em branco e o nulo são das pessoas que acreditam na democracia, mas que não acreditam nos políticos actuais, nem grande nem pequena.
Não vai para ninguém e uma forma de não legitimar os XUXAS de todos os partidos.

Anónimo disse...

há ali em cima um XUXA anónimo engraçado.

1º- O governo do Durão e do Santana durou dois anos. Não foi uma legislatura. Foram dois governos maus que foram castigados eleitoralmente.

2º- O governo que deixou um défice astronómico foi o do Guterres e ps respectivo com metade deste governo lá encafuado a gastar à fartazana.

3º- Se o parolito e desgraçado do Santana tivesse feito um décimo das doideiras e situações escuras desta corja governamental seria esquartejado.

4º- Pode-se discordar da privatização da Caixa, mas se calhar seria uma solução para deixar de ser a manjedoura de Armandos Varas e deixar de ser o sorvedouro de impostos em que se tornou com o caso BPN.


ass: AntiXUXA

PS: é bonito começar a ver o Sócrates acossado e o incompetente e incoerente pós-almoço do Jamais a fugir das câmeras

AMIGO DO MANJEDOURA E COMPATRIOTA DO MANJEDOURA disse...

VIVA O VOTO EM BRANCO VIVA VIVA. ABAIXO O MANCHA NEGRA E OS XUXAS.

Anónimo disse...

Não acho mesmo nada que o voto em branco e nulos tenha dado cabo dos xuxas. pelo contrário, partindo do princípio de que esses votos são de gente que não grama o socas, os seus votos tinham tido muito mais expressão se fossem em qualquer outro partido que não o dos xuxas. Se assim fosse - e, reafirmo, estamos a falar de descontentes com o ps - os xuxas não tinham eleito 7 depoutados mas 4 ou 3. Não era só lindo. Possivelmente levaria à demissão do governo. Foi pena ter-se perdido esta oportunidade de correr já com esta tralha. Por isso, ao contrário do que alguém diz aqui, o post tem toda a razão: o voto em branco é um desperdício lamentável da parte de quem não grama os xuxas!

Anónimo disse...

O que se ganha com o voto em branco?
A quem aproveita politicamente o voto em branco?

Que ilações politicas tira o Governo do voto em branco?

de voto em branco em voto em branco os Xuxas pulam e avançam!

Anónimo disse...

Há que não esquecer um dado nesta discussão: a questão aqui colocada sobre a burrice que é votar em branco, só se coloca PARA QUEM QUER CORRER COS XUXAS. É claro que, para quem os quer lá, o voto em branco pode ser muito pertinente, não se duvida. Mas o sentido da discussão lançada no post é apenas para quem está de acordo cobre a imperiosa necesidade de exterminarmos os xuxas. E para esses, não há dúvida, votar em branco é uma monumental BURRICE!

O Magnífico disse...

Discordo, discordo e discordo. Votar em branco é a única arma que existe para mostrar a quem nos tenta representar que tudo vai mal.
Se pretendes tirar o Sócrates de lá, existem várias armas, a questão é se o outro que for para lá, não é tão mau, ou pior do que ele.
Se, como eu, acreditas que tudo vai mal por aqui, quiçá devesses votar em branco. Se não o fizesses, o peso na consciência seria teu, não meu. ;)

Saudações

Anónimo disse...

Magnífico: Bem vindo ao Porco!
Faz apenas este simples exercício: partindo do princípio de que os cerca de 5% de brancos são votos contra o socas que não se traduziaram em rigorosamente nada, soma esses 5% em votos noutros partidos. Chegas facilmente à conclusão que se esses votos fossem expressos dessa maneira em vez da inutilidade dos brancos, os xuxas estavam com 5,4, 3 deputados... Era muito, mas muito diferente. Chega de sermos d. quixotes...

O Magnífico disse...

Mas tu ainda não percebeste que eles são todos, como tu dizes, "xuxas"? E vais dizer que eles são mais do que os outros, e eu digo-te são eles que estão lá em cima, porque se fossem outros eram esses os mais "xuxas". Acho que na realidade todos os portugueses têm sempre problemas em relação a quem está no poder.
Btw, deixa-me te dizer que o voto em branco (que não se equipara nem a nulo, nem a abstenção) é a maior chapada de luva branca que se pode dar aos políticos de um país. Sabias que se existir uma percentagem de 60% de votos brancos, a campanha e as eleições têm de ser repetidas e com outros candidatos? Os portugueses é que levaram o país ao estado em que ele está, porque, meu amigo, o governo é o espelho do seu povo.

Anónimo disse...

ó magnífico essa do «se houvesse 60% de brancos» coiso é boa... Sabias que se houvesse 1% de votos xuxas varráiamos do mapa o pior governo e a pior organização mafio-partidária de que há memória no país? Como argumento vale o mesmo, isso dá pa tudo...

Não é verdade que a questão actual seja a má relação que os tugas têm sempre com o poder. Pelo contrário: somos um paí de maiorias absolutas, incapazes de nos governarmos em coligação. O cavac teve duas e foi eleito PR. E demorámos muito mais tempo que qualquer outro país europeu, à excepção da espanha, a correr com a nossa ditadura. Somos o país do culto sebástico que ressuscita piamente ao longo da nossa história recente. Nã, neste caso não se trata de uma relação má como poder - tese completamente falha de objectividade. Trata-se de aversão a este poder, á corrupção, à arrogância, à incompetência e ao nepotismo que vigoram. É outra coisa.

Numa coisa concordo contigo: os brancos são xuxas. São estes 5% incapazes de votarem contra o partido que lhes dão as amiorias absolutas que não os deixam cair. Como digo no post acho-os lamentáveis. Se fossem minimamente coerentes e não se deixassem levar pelo seu pêessismo, teríaamos agora varrido os xuxas do mapa.

O Magnífico disse...

Enfim, não vale a pena falar por aqui, porque a cegueira contra algumas coisas por vezes é demasiada. Há quem o ache o pior governo e há quem o ache não tão mau quanto os outros. Não sei se te lembras, mas também foram muito poucos os que ficaram a gostar do Cavaco Silva após as legislaturas, aliás, o meu pai odeia-o profundamente. E eu não disse que os brancos eram "xuxas". Voto em branco, para mim é o voto mais democrático que existe em todas as eleições. Os "xuxas" a que tu te referes são a maior parte dos partidaristas, "xuxas" são todos aqueles que votam num partido por serem da respectiva família partidária, "xuxas" são todos aqueles que respeitam a lei virtual que existe em Portugal de ser quase que um mandato para o PS seguido de um mandato para o PSD como se não existissem mais partidos, como se nao existissem mais ideias, "xuxas" são todos aqueles que votam sem olhar para os programas eleitorais; tu olhas?
Porque estas eleições foram hilariantemente ridículas e, no mínimo deprimentes, pois foram umas europeias com ar de legislativas, em que a maior parte das pessoas certamente votou sem ouvir as campanhas para a Europa, que também foram poucas. Apenas algumas como a do CDS/PP, a do BE, até do MEP e, em parte, do PPD/PSD.


Por isso, só me resta mandar uma gargalhada, não contra o blog, do qual gostei, mas do post e de todos os seus comentários, porque é assim que o país, infelizmente e com muita pena minha, nunca andará para a frente.

Anónimo disse...

Ainda bem que gstaste do blog, Magnífico. és sempre bem vindo. Mas não tens razão nenhuma na tua definiação: xuxas são os gajos ligados ao aparelho pêesse que se abotoam à nossa custa. E não, não é porque há gente que luta contra eles que o país não anda para a frente. é ao contrário, porque somos um país de acéfalos que o país etá como está. Tou como tu: tenho inveja da maturidade política e cívica, da bagagem cultural, das taxas de leitura e de literacia e da força da opinião que vemos nos países nórdicos. Mas garanto-te que é o criticismo do post que vês nesses países e não a acefalia e o conformismo portuga de alguns comentários daqui...