26/06/08

A Minha selecção do euro, por Gabriel Alves Zandinga

E prontos! Com a vitória de hoje da Espanha está encontrado o segundo finalista do Euro. Indiscutível a vitória espanhola sobre a equipa mais esquizofrénica que eu já vi - a Rússia que tanto é protagonista do melhor jogo de todo o Euro, o sensacional Rússia - 3/Holanda - 1, como do miserável Rússia - 1/Espanha - 4 da fase de grupos. Nesta altura dou por mim a fazer infindáveis exercícios sobre o melhor onze do euro e, apesar de ainda faltar a final que pode decidir algumas alterações, aí vai o meu onze. Tenho como critério a representatividade das várias selecções, pelo que em caso de dúvida, opto por um jogador de uma selecção menos representada de modo a ser mais abrangente.
Note-se que este é o onze dos jogadores que melhor estiveram no Euro e não a equipa dos melhores onze jogadores. É diferente. Só um exemplo: o Cronaldo é um dos melhres jogadores do mundo, mas não está na minha selecção do Euro. Nem o Fabregas que, jogando às pinguinhas, também foi batido, embora, quanto a mim, seja um dos melhores médios do mundo. O mesmo para o Torres, outro grande avançado prejudicado pelas opções bizarras do seleccionador espanhol, etc, etc, etc. Aí vai, pois, o meu onze do euro:

Guarda redes: Casilhas (Esp)
. Há dúvidas? Ainda hesitei entre ele e o Buffon, mas o jogo que opôs a Espanha à Itália foi decicivo.Bufon teve uma fífia que só por acaso não deu golo; Casilhas defendeu o remate á queima roupa do Camoranesi e ainda foi buscar, monomentalmente, dois penalties. Considero-o memso o melhor jogador do Euro, vamos lá ver se a final o confirma, e se o Real Madrid tivesse ido mais longe na Champions, ninguém, nem memso o Cronaldo, lhe tirava o títulode Best player of the World 2008.
Além do Buffon, o velho Van der Sar também esteve bem. O Ricardo foi, quanto a mim, o pior de todos os guarda redes, seguido de perto pelo Rustu da Turquia.


Defesa direito - Sérgio Ramos (Esp).
Tal como na baliza, no posto de defesa direito há coincidência entre o melhor do mundo na posição e o melhor do Euro. O jogo decisivo foi este de hoje com a Rússia. Ramos masssacrou o flanco esquerdo russo e nunca foi batido por Zhirkov. Ora era justamente por aqui que os russos podiam desiquilibrar. Ms lá está, quem tem um defesa direito como este...


Centrais - Pepe (Potugal) e Chiellini (Itália).
Acho que deviam fazer uma dupla do outro mundo. O italiano foi o melhor stopper do euro. Rápido, elástico, alto e com bons pés. Pepe, já se sabia, é um defesa faz-tudo e se fosse preciso jogava a ponta de lança. Não estou a ver avançado capaz de os bater fisicamente.
De qualquer modo não foi um grande Euro no que toca a centrais. O russo Kidolin que não jogou com a espanha por estar castigado foi a revelação. E também gostei dos dois centrais da Roménia, um deles a caminho do Manchester.

Lateral esquerdo - Zhirkov (Russsia). Já o conhecia do CSKA de quando os gajos deram uma malha no Sportem. É muito mais que um defesa esquerdo, no CSKA a té é médio e tudo. Pode jogar atrás do ponta de lança e é visto a fazer cortes dignos de um central no meio da área. Tecnicamente é do outro mundo. Mas atenção, muita atenção ao alemão Lahm. Também é um grande jogador, foi decisivo contra a Turquia (que golo!!!) onde passou de besta a bestial num ápice e vai jogar a final. Pode ainda destronar Zirkhov e modificar esta lista. Ainda ha dúvidas.
Grosso (It)também esteve muito bem, tal como o Romeno Rat. Paulo ferreira foi o pior lateral esquerdo do Euro, um equívoco de primeira hora de Scolari perfeitamente óbvio para qualquer observador. O ferreria nem sequer é o melhor lateral esquerdo português: por mim adaptava o Miguel Veloso e ainda preferia o Caneira.

Trinco - Altintop (Turquia). A par com o Romeno Chivu que só não leva o lugar porque a Turquia foi mais longe e Altintop foi o seu melhor jogador. Tem uma visão de jogo fora de série, um futebol de regra e esquadro e alia a isso a garra turca que foi a maior qualidade da sua equipa. Se não fosse já do Bayern saía para um grande...
O espanhol Marcos Senna (carioca de gema) ainda tem, contudo, uma palvra a dizer. É uma peça fulcral no tabuleiro tático da esapnha porque dá consistência e físico a um meio campo muito tecnicista.

Medio direito - Modric (Croácia).
Apesar da sua equipa ter ficado pelo caminho, aquele a quem chamam o novo Cruijjf não engana. Ainda é um pouc intermitente nas suas intervenções, mas quando toca na bola faz coisas fantásticas. Em pouco espaço desencanta passes de morte que mais ninguém vê e com uma precisão cirúrgica. Mas tem que aparecer mais em jogo.
Schwinsteiger (Al) também esteve bem embora seja mais ala que interior direito e ainda tem uma palavra a dizer, tal como o catalão Iniesta que até aqui esteve num plano médio, mas que ainda pode arrancar uma grande jogatana na final. Qualidade ele tem-na.

Médio centro - Arshavin (Russia). Apesar do zero do jgo de hoje, ninguém lhe pode tirar o mérito de ter sido o melhor jogador do melhor jogo do Euro, com a Holanda. Nesse jogo fez a melhor exibição de todo o Euro e chegou a ser humilhante para os centrai Holandeses. Mas é um bom exemplo da esquizofrenia da sua selecção. Hoje foi completamente secado pelo tridente defensivo espanhol Sena - Marchena - Puyol. Resultado: a Rússia não jogou.
Também gostei muito de Fabregas, para mim, o melhor nesta posição, mas o homem, vá-se lá saber porquê, não joga de princípio de modos que opto pelo Russo... Ballack (Al) num estilo completamente diferente mas tremendamente eficaz também esteve muito bem e ainda tem uma palavra a dizer na final. Deco, o melhor português, também esteve muito bem, mas ficámos pelo caminho... E, claro, Pirlo (It), continua a ser deslumbrante. Com ele em campo contra a Espanha, talvez a história deste Euro não fosse a mesma.


Médio esquerdo - Sjneider (Hol).
A Holanda foi uma das melhores selecções e Sjneider o seu melhor jogador. Uma selecção sem um Holandês era branquear o melhor futebol de todo o campeonato. E Sjneider foi o motor da equipa. Tem que figurar neste meio campo, senão a médio esquerdo noutra posição qualquer, até porque é um médio que faz todos os lugares do centro do campo. Grande capacidade de remate e um ritmo de jogo altíssimo.

Avançados - Ibraimovic (Sue) e Villa (Esp).
Ok, eu sei que a Suécia ficou logo pelo caminho e que é uma equipa perfeitamente mediana. Mas que culpa tem o Ibraimovic disso? É o melhor ponta de lança do euro, marcou o melhor golo da competição, uma obra prima, e andou com a equipa às costas, apesar de lesionado. Foi número 9 e número 10, às vezes chegou a ser extremo esquerdo e ainda aparecia a concluir. Não é justo que seja penalizado pela qualidade da sua fraca equipa. Tecnicamente é o melhor ponta de lança do mundo. É um sobredotado, na Holanda chegaria ao nível do grande Van Basten.
Quanto ao Villa está muito longe do Ibraim, até do van Nistelroy (Hol) mas é o melhor marcador até ao momento e fez um bom euro. Não estou muito seguro que mantenha o lugar até porque na final estão alguns candidatos que ainda o podem destronar: Klose,um ponta de lança que joga na área como se estivesse no meio campo, como se não estivesse na zona mais super povoada do terreno. Klose ainda tem ua palavra a dizer, é um jogadro fino. E aida há Podolski que surpreendeu tudo e todos, embora não actue bem nesta posição, parte mais da esquerda.
Também gostei do romeno Mutu (foi pena o penálti defendido por Buffon), do Francês Benzema, sem dúvida o ponta de lança do futuro (se eu fosse o Abramovic ele já estava no Chelsea), do Van Nistelroy (Hol), do Russo Pavliuchenco (que, atenção, é suplente de Progbniac, lesionado!!!) e de Luca Toni (It) que teve lutar sozinho, isolado na área adversária devido ao ultramontanismo tático de Donadoni, o típico treinador italiano.


Quanto ao melhor treinador da competição, quanto a mim foi o turco Fatih Terim. Pelo futebol corajoso que apresentou e pela motivação exibida pelos seus jogadores. A Turquia jogou bem. apear de ser uma equipa inferior à Croácia e à República Checa não se limitou a defender e foi de uma coragem extrema. mesmo quando apresentou as reservas contra a Alemanha, terim apresentou uma equipa bem organizada. Além disso fi um senhor nas suas declarações, um exemplo de desportivismo e fair play. Como éque o Rui Costa não o trouxe para o Glorioso?
Gus Hiddink foi uma confirmação, depois das excelentes Australia e Coreia dos mundiais anteriores.Dos dois treinadores finalistas prefiro o metódico J. Low. O Aragonês é um marreta com sorte. Tem excelentes jogadores e é o que lhe vale, mas não se entende como é que Guti e Raul não têm lugar nos seus convcados, nem como é que Fabregas não é titular, nem o sacrifício perpétuo de Fernando Torres. Para o modelo de jogo técnico e de posse de bola que implementou, qualquer um destes entrava muito bem.
O pior técnico foi, sem dúvida, o batatoon do Euro, o francês-místico-Domenech - um fiasco completo que nem sequer soube assumir a derrota, mandando para canto na hora do regresso a casa. Quando até zidane vem reclamar a sua saída, tá tudo dito.

E pronto, depos da final, volto aqui. é provável que alguma coisa mude. Até lá temos na selecção do Porco: 3 espanhóis, 2 russos, 1 português, 1 italiano, 1 turco, 1 holandês, 1 croata e 1 sueco. Mas a Alemanha tem alguns jogadres a calha e ainda lhe falta a final, pelo que a coisa pode mudar. A ver vamos, como diz o outro...

4 comentários:

Cão disse...

"A ver vamos, como diz o outro..."
Hipóteses para "o outro":

a) Stevie Wonder
b) Ray Charles
c) Homero
d) Castilho
e) Jorge Luis Borges

Anónimo disse...

Não creio, amigo Cão, que qualquer dos indivíduos que citas tenham lugar na selecção do euro. Alguns nem são europeus. E, além disso, falta-lhes a todos, visão de jogo.
Bi Dente

Cão disse...

espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha
espanha espanha espanha espanha

Anónimo disse...

Os 23 da uefa são:

Guarda-redes: Buffon, Casillas, Van der Sar

Defesas: Bosingwa, Lahm, Marchena, Pepe, Puyol e Zhirkov

Médios: Altintop, Modric, Marcos Senna, Xavi, Zyryanov, Ballack, Fabregas, Iniesta, Podolski e Sneijder

Avançados: Arshavin, Pavlyuchenko Torres e Villa