07/01/09

MONICA ROCCAFORTE, A SUBMISSÃO AUSENTE, por Porco&Mundo

Porque O Meu Mundo Não É Deste Reino
Parte DOIS – O Desabotoar Do Casaquinho Amarelo

Mas o Tapor, quando estuda e escava vai ao fundo e descobre qualquer cidade perdida. Assim, após aturada investigação, dezenas de horas na net, das wikipédias, aos fan sites, dos blogs marados aos doidinhos de todo, dos sites de fans italianos apaixonados aos húngaros diabólicos, após dezenas de fóruns e newsgroups, alguns de onde o autor foi expulso logo que levantou legitimas questões, aqui fica a postagem sobre a novel menina, Monica Roccaforte, uma das maiores porn stars europeias de sempre. Um caso sério de popularidade em Itália. Uma Autêntica Diva.

A biografia da Monica Roccaforte é o exemplo claro de como vivemos num mundo globalizado. Uma menina Húngara é descoberta num casting em Budapeste pelo Francês Woodman ao serviço da multinacional Sueca Private, que a leva para Itália, onde faz uma carreira fulgurante e estrondosa e onde conhece outra porn star, o Venezuelano Franco Roccaforte, com quem casa, retirando-se então ambos para o Chile onde criam os filhos.

Apesar da curta carreira, ou se calhar por causa dela, a Monica Roccaforte criou um verdadeira legião de fans e o culto à volta das suas performances atinge um verdadeiro fanatismo purista. Nos newgroups de fans onde o Tapor se foi obrigado a inscrever para penetrar e escavar, impera uma verdadeira religião de adoração da menina, que não tolera qualquer heresia. No mais informativo destes antros de adoração, um newsgroup da Yahoo, depois do copy past geral, levantei a questão de um suposto “booby-job” que tinha ouvido falar e tunga, fiquei a falar sozinho no hiper-espaço, excluído no segundo imediato. Foi gente desta que defumou presunto herege nas fogueiras públicas. Torquemada vive ainda. Está escondido nos newsgroups de fans da Rocca. E dá-lhe Forte.

O primeiro grande segredo sobre a vida da Monica Roccaforte é o seu verdadeiro nome. Sabemos que é de nacionalidade húngara e que foi descoberta pelo Pierre Woodman em Budapeste, em 1997, ao serviço da Private. Mas, nada mais do que isso. Nem a Private, nem a Salieri Entertainment que a “raptou” e muito menos o seu site oficial, nenhum deles revela o nome da Senhora. Adoptou o nome profissional de Monica e o nome de Roccaforte quando se casou com o venezuelano por quem se apaixonou. Mesmo os groupies mais fanáticos não sabem ao certo o verdadeiro nome da Senhora. O IADF, o ISEEK e o IMDB falam de vários nomes: Sandra, Jolan, Jenny, mas certo certo, só sabemos o que é revelado pela própria no Private Casting Nº 18, quando desabotoa o famoso casaquinho amarelo e responde ao franciú dizendo que se chama Szilvia, isto tanto quanto se percebe.

A menina Szilvia, nasce na Hungria, em 1978 (fala-se de 14/01/1978, mas parece que só o ano é certo, embora também se fale de 1971), pelo que conta hoje com 30 anos. Nasceu no seio de uma família de classe média e obtém o diploma numa escola comercial de import-export, após o que inicia uma actividade de foto-modelo. É no âmbito desta actividade que responde aos anúncios de modelos fotográficos para a Private. Em 1997 com 19 anos comparece no casting de Pierre Woodman em Budapeste.

No vídeo do casting – Private Casting X 30, ou Casting 30 -, percebe-se a incomodidade da menina perante o poderoso mundo multinacional que a Private lhe apresenta nas revistas desfolhadas. Contudo, certo é que o casaquinho amarelo é desabotoado e segue-se o contrato com a Private. Estranhamente, depois da desabotoadela não há visionamento da ensaboadela tradicional do porco francês. O Casting 30 termina com o photo shoot e prossegue com imagens do primeiro filme da Monica para a Private, o “Weekend In Bologna” (Private Gaya 3, também de 1997). Não existe, a aplicação do dedo milagroso que tanto afamou o Pierre. A menina assinou, mas não facilitou com o tal ponto g de ciência certa. E isto é tanto mais estranho quanto os famosos Castings se traduzem sempre no afiambrar da Castingada. A Monica escrevinhou mas recusou-se a ir ao castingo.

(Continua na Parte TRÊS – Il Confessionale, e na Parte QUATRO - It (Almost) Never Hurts To Show Respect)

5 comentários:

Anónimo disse...

1. Açores 2010
2. Coisas do Arco-da-velha
3. Combustões
4. Dragoscópio
5. E Deus criou a mulher
6. Filipe Franco Photoblog
7. Foguetabraze
8. Máquina de Lavar
9. Sound + Vision
10. Tapornumporco

Regresso na companhia festiva de Debbie Harry que vos saúda com votos de um excelente New Year. De 2008 está feito o balanço também em matéria de blogs. Foi um ano de acentuada pauperização da blogoesfera. Com esta tendência não é fácil elaborar uma lista que registe qualidade q.b. O rol que aqui fica não é um Top. É apenas, por ordem alfabética, a minha colheita dos 10 melhores blogs de 2008. O critério é radicalmente subjectivo por isso desde já me penitencio pelos injustamente excluídos. Gostaria de ver as escolhas dos “laureados”, desafio que aqui deixo aos interessados. Fora da lista está, infelizmente, o Blog do Ezequiel (ex-redactor do :Ilhas) que acometido de doença súbita teve morte presumida que decorre da extinção digital do mesmo.
João Nuno Almeida e Sousa a.k.a. JNAS no www.ilhas.blogspot.com

Anónimo disse...

Jnas: obrigado pela tua preferência. É um bom desafio o que nos deixas de eleger os 10 melhores de 2008. Pelos nossos links, já tens uma ideia de quais achamos melhores. Mas é claro que ´há mais e nem todos os que ali estão foram os melhores de 2008. Vou mandar os meus. Pressuposto: tou de acordo contigo, a preferência é radicalmente subjectiva, um blog não é para ser uma tese de mestrado.
Bloom

Anónimo disse...

Porco e Mundo: parabèns pelo teu trabalho sério e pela investigação rigorosa! Consequência imediata: o tapor regista uma subida na audiência para o dobro. Além dos brasucas e portugas que aqui vêm mandaos pelo google à cata da Mónica, temos aqui um afluxo de franceses e, principalmente, e italianos. É assim: a blogosfera compensa sempre a competência, o rigor, a qualidade, a abordagem séria dos verdadeiros temas contemporâneos fracturantes.
Anal Ista

Anónimo disse...

Anal Ista, fico embevecido e agradecido. Melhor que isso, só se a Rocafforte himself aqui pusesse os pés no Porco. Aquele Casting é um mistério sério.

Jnas, naquela lista falta o Ilhas, obviamente. O Tapor nos vossos 10 melhores, é uma honra, que só revela bom gosto da parte de quem escolhe. Gratias.

ass: Porco&Mundo

Cãotínuo disse...

para a Mónica vir aqui, tinha-se de um pintar um traço descontínuo no Tapor, dada a mais que certa trepidação de ultrapassagens.