23/06/08

O Gordo, por Roque Lobster

N´O Gordo, nome não oficial do restaurante onde costumo almoçar em semanal exercício de masoquismo gastronómico, as surpresas estão sempre a acontecer. A última foi estonteante. Normalmente pago 6.50$ por uma refeição composta de sopa, água, prato de carne ou peixe, «uma saladinha» e «um cafezinho» que é o preço que o Gordo faz aos clientes habituais como eu. Mas um dia destes em que eu esperava que o robalo acabasse de grelhar, chega a empregada ao pé de mim e mata-me com esta:
- O sr desculpe mas o patrão manda dizer que hoje é um euro mais caro. É que o peixe é fresco...
E eu fiquei sem fala sem saber o que mais admirar na distinta lata do Gordo: se o facto de não ter dado a cara para anunciar a má nova mas mandar a desgraçada da rapariga por ele (deve ser este o significado da expressão «criada para todo o serviço»); se a confissão implícita de que o peixe que ele anda a servir nos outros dias não é fresco; se a coragem de aumentar assim um euro por uma coisa que devia estar suposta, isto é, a frescura do peixe.
Seja como for não chorei o euro que gastei a mais pelo peixe fresco. Pelo menos livrei-me dele durante uns tempos. Durante cerca de um mês, o Gordo não voltou à minha mesa para perguntar, como é hábito, «se o almocinho tá mais ou menos». Acho que ele ficou com medo de que eu exigisse que ele me tirasse um euro aos «6.50$ pra cliene habitual» de cada vez que me apresenta um produto menos fresco.

9 comentários:

Anónimo disse...

foto de August Sander, o proscrito fotógrafo da raça ariana que tanto irritou os nazis. Este ariano cozinheiro fotografado por Sander, não é por nada, mas lembra-me O Gordo.
RL

Peixe e Batatas Fritas disse...

Isso não foi na altura do bloqueio dos camiões nem nada? É que se foi, o Gordo tem uma desculpa razoável para a inflação na frescura. Só não tem pela cobardia.
E o Sander, realmente, já merece aqui uma posta. Sobretudo porque é muito mais do que um fotógrafo da raça ariana (que, de resto, nunca foi, não obstante irritar os Nazis). Aliás, o Gordo da foto não me parece nada ariano... Aliás, como é que é um ariano? Loiro, espadaúdo e de olhos azuis?

Anónimo disse...

Fish and chips: post sobre o sander já aqui foi escrito. Aqui:http://tapornumporco.blogspot.
com/2007/04/porque-que-os-nazis-no-gostaram-destas.html
Mas ele não foi um fotógrafo da raça ariana em sentido literal. Foi-o sim ironicamente e por isso é que irritou tanto os nazis que o proibiram. é evidente que o cozinheiro buxa da foto não te parece nada ariano. Nem aos nazis. Por isso, por essa desconstrução irónica do mito do arianismo, é que o proibiram.
RL

peixe e batatas fritas disse...

Sim nesse sentido faz algum sentido, está bem. Até porque não existe nenhuma raça ariana, quanto muito existiu um povo há muitos, muitos anos, lá muito longe para os lados do Irão e das grandes estepes asiáticas. Deviam ser escuros, atarracados e feios como os trovões. Muito mais parecidos com os mongóis, por exemplo, do que com o tipo viking celebrado pelos burros dos nazis... E tenho de ir relembrar essa posta, claro, isto o porco é um portento, em tantos anos acho que já não há nada que não se tenha falado aqui...

trutasalmonada disse...

eu cá acho que a criada veio anunciar o euro extra por sua conta e risco (mealheiro pessoal que vai recheando a cada dia com uma nova vítima), quanto ao Gordo, o facto de ele não aparecer talvez se deva ao facto de estar demasiado obeso para se deslocar às mesas (ou então está com uma crise reumática), por sua vez o peixe 'fresco' deveria querer dizer que era um peixe de comportamento dúbio (nada do recato dos peixes por ali servidos, mas antes um peixe que seria ousado, divertido, animado, etc. e tal) quebrando a monotonia dos almoços a 6.5 euros...

Anónimo disse...

Truta: o teu comentário é muito suspeito... vens defender o Gordo? Cá pra mim tens acções no restaurante ou vendes-lhes peixe fresco. Com esse nick (truta salmonada) nem admira.
RL

Cão disse...

viva o gordo, enfim. ao menos a taxa moderadora do peixe fresco do gajo não cheira podre como as manigâncias das gasolineiras, dos municípios e da pandilha governamental.

J disse...

Epá, o Gordo que me desculpe. Então dog, como é que correu o resto do alançamento? Muitos livros vendidos? Como é que foi a aceitação? E o cocktail? E o peixe, estava fresco?
Ainda estou a entrar no livro, em breve dou feedback.
Então e o que é que aconteceu ao catano da capa? É diferente desta que enviaste pá, que até estava mais gira, digo eu.
Enfim, sobretudo que seja um sucesso, é o que eu desejo e que seja um ponto de partida para mais e melhores coisas bonitas!

Cão disse...

tudo bem, máfrende. agora, vamos ver.
a capa foi alterada pelo director de design. eles lá sabem.