20/06/08

Porque Perdemos, Senhor? Por Mãos de Tesoura

E a resposta é simples: porque tínhamos o Paulo Ferreiro a defesa esquerdo e o Ricardo Mãos de Manteiga a guarda redes, precisamente, onde eles têm o Lehman e o Lahm. No resto até somos melhores. Mas imaginem os alemães com o ricardo e o ferreiro e nós com o lehman e o lahm... Nem pergunto quem ganharia, só digo nós e por quantos quantos?

5 comentários:

Eu sempre disse... disse...

Talvez baste mudar os chefes deles. Será que é desta que o Madaíl assume as suas responsabilidades?

Anónimo disse...

e porque raio é que lá está a vaca sagrada do Ricardo das ricardices e o Paulo Ferreira?

Quem é que os lá pôs?

E a nossa sorte é que o Pauleta dos queijos se retirou, se não, ainda lá andava.

Falta aqui um quem. O Ricardo não tem culpa, nem o Paulo nem o Pauleta.

E o burrro sou eu?


ass: burrro

Anónimo disse...

Concordo com o raciocínio do comentador anterior. Mas há que ver a floresta e não a árvore. Se é certo que desta vez a presença do ricardo mãos de manteiga nos custou a eliminação, não é menos verdade que nas campanhas alcançámos resultados históricos e isso deveu-se em parte a muitas atitudes e opções do scolari. teve erros? srm dúvida, os maiores dos quais a insitência no ricardo, a não convcatória do baía e insistência xiita no pauleta. Mas tb teve muitas virtudes e o balanço final da sua passagem pela selecção foi altamente positiva. mas é pena que não ternha ido mais longe por fidelidade a jogadores de fancaria, lá isso é.

Anónimo disse...

E esse escolari, que nada acrescenta a tanto talento. O que ele quer é bandeiras penduradas nas varandas dos adeptos portugueses. Detectou o problema e não mudou nada no modelo defensivo.

Rui Gamboa disse...

E porque não trocar o Nuno Gomes pelo Podolsky ou pelo Klose, fazia mais sentido que o Lahm, que foi umas quantas vezes ultrapassado pelo Bosingwa.

Já agora, deixem o melhor marcador de sempre da Selecção em paz. Ele, Pauleta, foi o melhor avançado que Portugal já viu, nem Torres, nem Gomes, nem Jordão, nem muito menos Néné, ou Nuno Gomes.