20/08/08

A Cigarra e a Formiga, por Soneca

Um gajo vai de férias para o exterior, chega aqui à santa terrinha donde não tem notícias faz duas semanas, abre o Porco e o que é que vê? Que o último post foi postado (pelo Mangas, saravá!) faz uma eternidade. Malandros. Langões. E é que nem de propósito. Recém chegado, percebo que o país se entreteve durante o tempo em que estive ausente com as polémicas declarações de um atleta portuga, Marco Fortes de seu nome, que terá justificado a sua fraca performance nos Jogos da China, com a sua inaptidão para trabalhar de manhã. Disse o bom do Marco que, com a mudança de fusos horários, a competição calhava-lhe a uma hora matinal em que lhe apetecia era estar na caminha. Foi sincero, eu de manhã, também gosto é de cama, tou com ele.

Por isso não percebi muito bem, o escândalo nacional que se levantou com as declarações do nosso Marco que já terá sido recambiado para a pátria e tudo como castigo pela sua ingenuidade. Ou melhor, percebo, o pessoal queria medalhas e, não as havendo, malhou-se no pobre do Marco que se pôs com os costados mesmo a jeito. Eu volto a dizer: simpatizo com o Marco que foi prós Jogos imbuído do mais puro espírito Cobertin ( «O que importa è competir» de preferência depois do almoço).

O Marco é a cigarra desta história e a formiga é a Vanessa Fernandes. A Vanessa mostrou ser a melhor atleta portuguesa nos Jogos, até ao momento, mas, do meu ponto de vista, as suas declarações acerca dos seus colegas olímpicos foram dignas de uma medalha de lata. Ela criticou os outros atletas que foram para a China com a filosofia Cobertin do Marco, demarcou-se da manada ao afirmar que aquilo era para pessoas com espírito de sacríficio - como ela - e não para a maltosa diletante que foi para Pequim passar umas férias. Até pode ter razão, mas não está em posição de declarar uma coisa destas, ainda por cima depois de ter ganho uma medalha. É horripilante que em plena euforia com a sua medalha de prata, ela se venha distinguir dos colegas publicamente, apontando-se, ainda que indirectamente, como exemplo por contraste com os bardinas dos Marcos. A Vanessa portou-se como a formiga da história que deixou morrer a pobre da cigarra à fome quando tinha a dispensa cheia de comidinha. Para não fazer o triste papel da formiga, bastava-lhe estar caladinha. Mas não foi capaz e tratou logo de empurrar o caixão dos colegas mais para baixo. Mortos? Vocês estão é mal enterrados.

Pode não haver comparação entre o atleta(?) Marco e a atleta Vanessa. Mas, mesmo sem os conhecer, simpatizo muito mais com o Marco. Para destoar do estranho coro dos ofendidos da pátria eu nomeio o Marco, Herói Nacional do Tapornumporco e de um dos seus desportos favoritos: a siesta. É ou não é, Mangas?

8 comentários:

Cão disse...

O Marco é Portugal, mas mais.
A Vanessa é Portugal, mas também.

diogo disse...

Apoiado!

Anónimo disse...

Só digo uma coisa: prefiro o discurso descotraído do Marco ao espectáculo deprimente de muitos atletas olímpicos que vêm para as câmaras chorar e pedir desculpa por terem «falhado». Não os critico a eles, de maniera nenhuma, mas à pressão intolerável, ao chauvinismo exacerbado que lhes cobra ao ponto de s obrigar a cenas daquelas. Não estou a pensar em portugas mas vi brasileiros que me meteram dó a pedirem desculpas ao país e aos pais. É isso o ideal olímpico, essa ganância de vitória que leva governos como o nosso a investir 15 milhões em potenciais medalhados? Acho triste. O Marco foi, obviamente infeliz, como ele já reconheceu. Mas não há dúvida: prefiro o espírito das suas declarações à obsessão patética e patrioteira das medalhas.

Anónimo disse...

Isso tem piada: portugueses (alguns) arrotem aí com o dinheirinho para os pachás marcos e quejandos irem fazer turismo para pequim e levantar tarde.naõ façam sacrifícios para ganhar porque o importante é passear com férias pagas. competir? ah, aquela coisa de lá ir. sem esforço. é pá arranjem um lugar para os próximos jogos que eu também vou dormir para lá e, já agora, aproveito e conheço uns sítios novos. porreiro pá.
Imigrante

bolt disse...

O Marco demonstrar é o espírito muito comum no mar de malandros que enchem estes pais, que muito gostam de chupar da teta bem sentadinhos em pose aburguesada e tranquila. Ah! e que não se atrevam a incomodar ou a perturbar com um chumbo na matemática ou na historia pq. Se a assim for não é culpa deles, é culpa do professor que marcou o teste as nove da manha, horas indecentes. Pt, fico é com a Vanesa que representa outro português mais valioso com mais garra, sem fados com os que se desculpar. Os outros podem ficar é na praia da Figueira a ressonar.

bolt disse...

O Marco demonstrar é o espírito muito comum no mar de malandros que enchem estes pais, que muito gostam de chupar da teta bem sentadinhos em pose aburguesada e tranquila. Ah! e que não se atrevam a incomodar ou a perturbar com um chumbo na matemática ou na historia pq. Se a assim for não é culpa deles, é culpa do professor que marcou o teste as nove da manha, horas indecentes. Pt, fico é com a Vanesa que representa outro português mais valioso com mais garra, sem fados com os que se desculpar. Os outros podem ficar é na praia da Figueira a ressonar.

Anónimo disse...

Estou "de volta para o aconchego"
A proposito de aconchego "da caminha" que o Marco Fortes (ele é forte e as palavras ainda o foram mais), com algum humor, mas também desalento disfarçado,referiu preferir ao ter que competir de manhã, faltou o atleta explicar o por quê de tal desejo.
O corpo humano leva cerca de 3h (no minímo) para que esteja activo para efectuar esforços, particularmente os que precisem de forte disponibilidade motora. Para um atleta que iria lançar ás 9h da matina, pelo menos teria se levantar ás 6h. Porém MF tem uma massa muscular pesado, pelo que o seu organismo necessita de pais tempo para estar no máximo das suas capacidades. por outro lado em Portugal não se efectuam competições de manhã,pelo que os atletas portugueses não estão habituados a ter competição matinal.Assim o que faltou foi o MF esclarecer estas situações. Mas o bom rapaz (que o é)resolveu fazer humor com o seu mal, e num país que nada dá, mas tudo pede - deu no que deu. quanto ao dinheiro recebido. Tadinho do MF, só recentemente é que fez marca para receber uma bolsinha do COI.E já que falamos de Euros, tentem saber quanto custou um atleta "nuestro hermano". Quanto gastaram os Estados Unidos com Nelson do peso, que falhou os 3 ensaios no peso.
A Vanessa Fernandes perdeu o seu brilho quando criticou os seus colegas, mesmo estando longe da aldeia olímpica. Mas a pedra no sapato está lá, uma vez que o seu colega do trialto Duarte Marques que foi 45º. Será que ele com esta classificação também andou a brincar? Não acredito. Quem participa nuns JO (ou outra competição qualquer de nível) dá o seu maxímo. Por vezes não saí...
Em relação às críticas generalizadas do país. Tem o direito de estar desiludido com a presença portuguesa, mas perdem a razão quando passam anos sem ligar ás modalidades - só olham para o futebol, que gastou dinheiro do erário público, e não se qualificou (mas ninguém criticou os meninos, antes pelo contrário, até os bajulam). A imprensa que procure saber em que condições treinam os atletas portugueses e compare com outros estados que estão nos JO.
Fiquei triste por ver a minha amiga Neide Gomes bloqueada sem saber o que lhe tinha acontecido. Ela que trabalhou no duro para estar e discutir o podium nos JO.
Fiquei triste por assistir á despedida ( derrotado) do Francis. Fiquei contente por ver o 1ª ministro agradecer o que ele fez por Portugal.
Fiquei feliz com amedalha de ouro do Nelson. Agora o Prof. Ganço ainda vai ter mais que nos explicar.
Fiquei contente com a prata da Vanessa. Nesta todos os críticos e o Presidente da república não se esqueceram de aparecer em pontas...
Tá longa a minha volta ao
Da Madeira ( com saudades do blogue )para o Tapornumporco
madfun_ph

A disse...

Madfun, inteiramente de acordo contigo. E os dados que trazes á liça são muito bem vitos. You´re wellcome, mafrende...
Soneca