25/09/08

Deixai Vir a Mim as Criancinhas, por Frederico


Quem pensava que aquela coisa abjecta dos governantes serem fotografados ao lado de criancinhas para lhes apanharem a aura de pureza e bondade era coisa da propaganda do ínício do século passado estava afinal enganado. Ele há Grandes Líderes que ainda recorrem a essas velhas fórmulas. Pinto de Sousa é um desses casos - dando computadores Magalhães aos jovens passa a imagem de um governante apostado no progresso e na tecnologia (entretanto numa grande parte das nossas escolas chove dentro das salas e os edifícios caem de podres, mas isso não interessa nada)... E deixando-se fotografar ao lado das criancinhas para a foto do jornal e para as imagens da TV passa a imagem de um paladino da pureza, tipo anjinho da guarda.

Ele é uma mistura de político pimbalhão e de ratazana da propaganda. Pimbalhão: desses que oferecem frigoríficos e micro-ondas aos eleitores, só que em vez de electrodomésticos oferece computadores Magalhães. É mais moderno. Ratazana da propaganda: porque a mensagem é tão obscenamente primária que chegamos a ter dúvidas de que passe, mas a verdade é que o país é tão mau, tão mau que esta cena das criancinhas funciona mesmo.

Deixo-vos um dos dinossauros especialistas na produção de imagens deste género obsceno: o camarada José, intitulado pelos seus, Friend of the Children. As fotos não são boas mas são as que se puderam arranjar. Descubra as diferenças.

19 comentários:

Anónimo disse...

Os russos chamavam o quê ao Estalinio? Fried Chicken?

Anónimo disse...

Quando começaram a aparecer os computadores portáteis criou-se a ideia de que os gajos que sabiam mexer naquilo eram muito avançados. Não tardou que uma série de saloios da nossa sociedade começasse logo a aparecer nas fotografias com computadores como fundo, sentados à secretária com o computador em frente etc, etc... Lembro-me que a moda chegou a atingir os treinadores da bola que começaram a aparecer nas fotos das suas entrevistas n A Bola ao lado dos seus notáveis pcs. Eram burros comó caraças e não davam uma pa caixa mas pareciam, ou julgavam parecer, mais espertos com os computadores ao pé. E vai daí isot tem tudo a ver com o pinto de sousa...
Megabit

Anónimo disse...

Quando começaram a aparecer os computadores portáteis criou-se a ideia de que os gajos que sabiam mexer naquilo eram muito avançados. Não tardou que uma série de saloios da nossa sociedade começasse logo a aparecer nas fotografias com computadores como fundo, sentados à secretária com o computador em frente etc, etc... Lembro-me que a moda chegou a atingir os treinadores da bola que começaram a aparecer nas fotos das suas entrevistas n A Bola ao lado dos seus notáveis pcs. Eram burros comó caraças e não davam uma pa caixa mas pareciam, ou julgavam parecer, mais espertos com os computadores ao pé. E vai daí isot tem tudo a ver com o pinto de sousa...
Megabit

Anónimo disse...

Olha, um gajo contra os computadores portáteis e os gajos que os usam... tá tudo doido.

Anónimo disse...

Anónimo: se te deres ao trabalho de reler o meu comment facilmente compreenderás que dele não se infere que estou «contra os computadores portáteis», coisa que ignoro o que se possa ser já que é tão aburdo dizer-se isso como dizer-se que se é contra os frigoríficos, os micro-ondas ou os esquentadores.
Muito menos se infere que sou contra «os gajos que os usam», aos pcs portáteis, coisa igualmente absurda para quem, como eu é viciado nesta coisa dos blogs.

Sou contra, isso sim, os burros que usam os computadores, portáteis ou não, para fazerem passar uma imagem de si próprios, mentirosa. Sou contra, ou pelo menos fazem-me impressão aqueles gajos que se preocupam com os fatos Boss por fora e andam de meias rotas e cuecas sujas por dentro. Reconhecerás que é bem diferente de se ser contra os portáteis e os gajos que os usam, valha-me Deus...
Megabit

Anónimo disse...

O caso pinto de sousa é um exemplo do que afirmo atrás: é o típico fato Boss por fora e cuecas borradas por dentro. Pelo menos nesta coisa das escolas: deixa-as cair de podres, deixa que chova dentro das salas, as aulas de educação física param no inverno porque os ginásios metem água e as de aulas de electricidade porque as tomadas parecem torneiras, o aquecimento não existe,etc, etc, etc mas depois dão-se magalhães à malta. O nacional parolismo em todo o seu esplendor...
Megabit

Anónimo disse...

só uma objecção: onde raio foste buscar a ideia que este é um grande líder? até pensei que estava a ler mal. este nem na terra dela é o maior. este procedimento é tão básico e primário que nem vale a pena comentário

Sofista

Anónimo disse...

só uma objecção: onde raio foste buscar a ideia que este é um grande líder? até pensei que estava a ler mal. este nem na terra dela é o maior. este procedimento é tão básico e primário que nem vale a pena comentário

Sofista

Anónimo disse...

Claro Anónimo, concordo inteiramente contigo: este gajo é o contrário de um grande líder. A expressão Grande Líder que usei era irónica. Grande Líder (assim com maíusculas e tudo) era a expressão usada para qualificar os ditadores dos regimes comunistas totalitários. Ainda hoje é assim que na Coreia do Norte se designa o Kim ILL Sung.
Frederico

Britannicus disse...

TIC, TAC, TIC, TAC, TIC, TAC, TIC, TAC… PUM! Ai o que aí vai de foguetório e retórica prometeica em torno das TIC! Ai a tanta imaginharia do inginheiro! Ai a símplice simpleza do simplex educativo ! Ai a nova tecnognose salvífica que vai arrebatar os juvenis à iliteracia funcional e à bruteza asnal!
Arreda!, pois a mim precatou-me a muita frequência do S. Homero, que sempre usou a mesmo vocábulo para «embuste» e «habilidade técnica» ( a erudição é uma arma de destruição machucha).

Abaixo o (pres)digitador Sócrates!

Abaixo os tóxicoTICómanos!

Cão disse...

o pruvlema não é os comptdores portáteis. é os pintos sousas serem portáteis. ao colo. da gente.

Anónimo disse...

Algumas pergutazitas singelas acerca da chico-espertice do pinto de sousa:
1. afinal quem pagou os magalhães? O governo? As empresas portugas que os produziram?
1. se foi o governo - não creio que as empresas oferecessem gratuitatemente os pcs - pergunta-se: isto é legal? Estranha forma de actuar sem concurso sem nada... O governo paga à empresa(s) que quer e prontos. E amnhã, faz-se assim com as empresas de onstrução, de têxteis, de serviços, do que quer que seja? Já não são precisos concursos públicos? A proximidade das eleições não devia justificar tudo.
3. O investimento nos pcs pós putos justifica-se pedagogicamente? Não haveria mais vantagem em canalizar verbas para as escolas resolverem problemas pedagógico, estruturais e outros bem mais graves? Como vão os putos usar os pcs? Vão ver sites de múica classica? Ou pornochachadas, que é o mais certo ( e nã me venham com aquilo da protecção parental impossível de controlar o que quer que seja)?
4. A simples dádiva de pcs é, de facto o melhor combate à info-exclusão? Sabendo-se que esta é gerada sobretudo pela dificuldade de acesso à net não era muito mais sensato baixar as tarifas de acesso à net? De que vale aos putos terem o pc se depois os pais não podem pagar a net?
Sabem o que eu acho? Comprem livros prás bibliotecas escolares que são uma pobreza franciscana. Fazia mais sentido que este folclore pimbalhão. Mas não dava votos, claro, quem quer saber de livros?
Piton

Anónimo disse...

megabit, eu apenas tenho dificuldade em distinguir alguém que usa uma máquina para passar uma falsa imagem falsa de si próprio, como tu dizes, de alguém que o usa por necessidade. É que até os treinadores de futebol e os patos bravos podem ser viciados em blogs, como tu, porque não? Ou em gajas nuas. A verdade é que já poucos passam sem um PC para isto ou para aquilo. É triste? Pois é. De resto, aceito perfeitamente que alguém goste de se passear com o PC, da mesma maneira que há quem ande com o telemóvel permamentemente colado ao ouvido, para fingir que tem uma vida social muito preenchida. E... o que tem isto a ver com o resto, nomeadamente com o Sr. Pinto de Sousa?
Não me parece justo argumentar que mais falta faria arranjar as escolas do que comprar computadores. Eu poderia argumentar que faz mais falta dar um prato de arroz a uma criança no Sudão do que comprar telhas para arranjar o telhado de uma escola e assim por aí fora. Não chegamos a lado nenhum não é?
Acho muito bem que haja computadores baratos, que é que queres?

Cordialmente,
O Anónimo Mascarilha

Anónimo disse...

Mas, já agora, olha que essa coisa abjecta, nojenta, execrável, etc, etc, de governantes se fazerem fotografar ao lado de criancinhas, é muito velha e está universalmente espalhada. Está para nascer, nesta e nas galáxias mais próximas, um politico que não tenha pegado numa criança ranhosa ao colo ou que não tenha visitado uma escola com crianças lá dentro. Ou que não tenha pelo menos muita pena de não o poder fazer, pensando agora naquele rei da Abissína que só tinha cabeça e era cego, surdo e mudo.
Aliás, não me faz mais impressão isso do que a visitação a velhinhos em lares, porque como se sabe os velhinhos, calhando, são piores que os putos. Chato era se os comessem com molho de leitão, uns e outros.
Ora bem, quero eu dizer que dada a universalidade do fenómeno da exploração da inocência, não me parece que isso mereça tanto asco. Ou não teremos mãos a medir para tanta fotografia do Zé dos Bigodes. Para desenjoar do gajo, olha, sempre poderiamos alternar com fotografias daquele outro que a gente sabe e que gostava de se fazer fotografar com crianças lourinhas com a montanhas da Baviera ao fundo.

Mais uma vez cordialmente,
anónimo mascarilha
beijinho

Cão disse...

gajo sem colhães, mais cedo ou tarde magalhães.

Anónimo disse...

magalhães, magalhães, bom pra meninos, pra cães e pra velhinhos tambéns.

anónimo mascarilha

Anónimo disse...

Tem o anónimo mascarilha inteira razão: é raro o político que resiste a esta coisa abjecta, nojento e ascorosa da atracção pelos ranhosos dos putos. No entanto não é pela abjecção ser recorrente que deixa de me fazer impressão. Pelo contrário a mim ainda me fode mais a tola que a abjecção seja corriqueira.
Fred
P.S. Beijinhos, anónimO mascarilha? Mas tu és a favor do casamento de homens sexuais ou quê?

Anónimo disse...

eu esse casal não conheço, mas se os gajos querem casar, que lhes faça bom proveito.

anónimo mascarilha

Anónimo disse...

Grande Post
JNAS