02/03/11

Um (des)gosto, por Cão

Tenho uma filha com 17 anos feitos que acredita em si mesma. É bom. Também acredita no futuro dela, ela. Já não sei se isso é tão bom. Não sei – e não sei explicar-lhe a minha ignorância.
Tenho outra menina a que pertenço também. Tem 11 anos, vai andando, não sei bem em que acredita ela, vejo-a menos vezes do que deveria.
Uma e outra são portuguesas. Crescem como juncos que o vento matiza de verde. São cidadãs deste tempo.
O problema é este tempo ser destes gajos. Deste país. Desta conjuntura.
A Leonor e a Teresa são exactamente iguais aos vossos filhos e filhas: encarnações floridas com que intentei prolongar a eternidade que o Tempo nos nega. Não o Tempo dos filósofos alemães. Não o Tempo de mármore da Grécia. Não o Tempo cartográfico das caravelas. Este Tempo.
O Tempo dos corruptos/corruptores. O Tempo dos falsos adventistas. O Tempo dos idiotas subidos a lugares de comando. O Tempo dos amigos serem para as ocasiões que fazem ladrões.
A minha Leonor e a minha Teresa foram feitas em Portugal, mas não para ele.
E os vossos filhos e as vossas filhas? Terão sido para gajos de ocasião como estes?
Gostaria de saber o que pensais disso.
Gostaria mesmo.

9 comentários:

Uma opinião, por Bode disse...

Que este país é feito por nós e todos nós o influenciamos, quanto mais não seja pela forma como educamos os nossos filhos transmitindo-lhes (ou não) os valores em que acreditamos. E a nossa revolta não pode ser feita como há séculos a tentamos fazer, isto é, dizendo apenas mal uns dos outros e daquilo que fazem. A nossa revolta tem de passar por participar activamente na vida pública através dos partidos, movimentos e associações, para ocupar os espaços que há muito deixamos escancarados para os que lá têm estado até estes dias.

J disse...

Finalmente, um porco, perdão, um bode, com juízo. Subscrevo.

Seco disse...

Amigo Cão, vão ter vida mais fácil e mais oportunidades do que no tempo das caravelas ou dos mármores gregos, para mais sendo meninas. Isso, garanto-te. Os meus também. Não tenho saudades nenhumas de caravelas ao vento e mármores brancos, nem vontade de as ter. E por detrás da grandeza gloriosa dos filósofos alemães e chineses, mais corruptos/corruptores havia do que agora, para não falar de adventistas falsos e, pior, dos verdadeiros. Isto é o que eu penso.

Anónimo disse...

E voilá! Eis-nos num mundo fantástico. Onde a corrupção, a incompetência, o compadrio, a mentira, a falta de vergonha se ausentaram. Um mundo cor de rosa.
E para os pessimistas (como eu e o cão) há uma solução: participe, crie movimentos no facebook, fóruns de discussão, reflicta sobre este admirável mundo...enquanto nos empurram para a miséria, para uma vida sem qualidade, onde nos espoliam a cada dia que passa, mais e mais; onde os bancos têm mais casas para vender que os construtores civis, as pessoas passam a comer mais pão e salsichas, ... enfim, voltamos ao ceguinho.
Digam-me quais são os comprimidos que andam a tomar que eu também quero

Minotauro

J disse...

Minotauro, a primeira coisa que podias fazer para ajudar a melhorar a situação seria aprenderes a ler. A literacia é uma arma importante de mudança.

Anónimo disse...

Tu ler acho que sabes. Perceber e entender, aí já é outra coisa. A ignorância reveste-se de muitas formas, e tu já mostraste, por inúmeras vezes, que és muito próxima dela.
A tua presunção, então, dava para escrever várias enciclopédias.
Quando tiveres ideias, mesmo, a sério, então conversamos. Até lá, é pura perda de tempo. "Pérolas a porcos" aqui aplica-se na perfeição. Com o devido respeito aos verdadeiros porcos

Minotauro

Seco disse...

Minotauro,

Segundo percebi não concordas com o Bode. O que o bode diz é que as mudanças se fazem através da participação cívica, do envolvimento dos cidadãos, seja nos partidos, seja em associações, grupos, movimentos. Percebi que não concordas, que quem pensa assim estará a tomar comprimidos. Que propôes, se é que queres propôr alguma coisa? A revolução armada? Pode ser, pode ser... Vá lá: uma coisa ou outra, porque esse onanismo solitário das bocas em caixas de comentário, sendo muito mais fácil do que as outras soluções, não te resolvem nada.

J disse...

A propósito de demagogos da luta, um aplauso para MST: http://www.youtube.com/watch?v=gFH4SWpmSUQ

Anónimo disse...

Ó Seco quando te metes no meio, sem saberes o que está em causa, ficas perdido. A tua hermenêutica é dispensável porque sei, provavelmente melhor que tu, o que o bode disse.
E a questão não é essa. Lê bem. Ou o movimento marcado para 12 de Março não é um movimento cívico? Qual a crítica que tu fizeste ao texto do cão? Pareces o primeiro ministro a dizer à oposição "apresentem soluções" e, depois, rejeita-as todas... e, fico a saber, essas tuas soluções são as únicas: movimento cívico ou bomba. Vai até Espanha, lá ficas mais entrosado