31/12/08

Ontem Fui Passear à Baixa - parte II, por Averell D.

Não chegava a foleirice dos enfeites de Natal para estragar a Baixa. Pessoalmente detesto os enfeites de natal com o seu excesso de luzinhas berrantes, rotundas em versão néon dos autarcas que já não sabem o que fazer para contentar o mau gosto do povo. O pior é a música nas ruas. Só quem não passou este natal pelas ruas da baixa é que pode ignorar como aquilo é ensurdecedor. Um gajo nem falar pode, é como a porcaria da música que deram em meter no intervalo dos jogos da bola…
Os jingle bells e os merry christmas do costume sempre me meteram os nervos em franja. Não sei, sinceramente, como é que um desgraçado de um empregado de uma «grande superfície», por exemplo, consegue aguentar o dia inteiro a overdose maciça destas musicazetas de merda sem sucumbir a um ataque de nervos. Eu pensava que a música de natal era má porque era de natal. Agora, ao passear na baixa nesta quadra, descobri que não - que afinal é a própria existência de música nas ruas, por melhor que seja, que me desconcerta.
Entendamo-nos. As músicas que ouvi na Baixa são boas, algumas são até mesmo muito boas… Assim de rajada lembro-me de ter ouvido o Eleanor Rigby dos Beatles (suprema ironia aquele refrão gritado «Ah look at all these lonely people» nesta quadra natalícia do encontro e da comunhão), o The Great Gig in The Sky dos Pink Floyd, o My Way cantado pelo imortal Sinatra ou os fados da Marisa. Não se pode dizer que esteja mal…
Mas intervalar estas músicas com slogans natalícios e com publicidade às lojas da Baixa ainda é pior do que se fossem músicas do Tony Carreira. Aquelas músicas estão descontextualizadas ali, percebe-se que quem as escolheu tem bom gosto, mas que raio, quando eu quero ouvir os Beatles, os Pink Floyd ou a Marisa, não o faço na Baixa, mas no silêncio sagrado do meu quartinho ou no calor de um bom bar… Parece que se perdeu um certo sentido de sacralidade que devia estar associado à música. Como se esta se tivesse tornado numa espécie de irritante banda sonora de fundo em vez de ser, como merecem as músicas a sério, o objecto principal da minha atenção Ainda por cima não havia necessidade de tanta coluna por todo o lado com o volume tão insuportavelmente alto. Fica mal ouvir o John Lennon a berrar-me o Imagine aos ouvidos enquanto montras apocalípticas anunciam a Liquidação Total...
Pic da excelente Adbusters que um dia merecem um post...

6 comentários:

britannicus disse...

Por falar em música sacra, ó Baixote! Por aqui, na terra do "cão sim, homem não" pareceu-me ouvir na amplificação o "Fuck Christmas, I Got The Blues" do coimbrinha Legendary Tiger Man.

Anónimo disse...

Que terra é essa, brit, que não conheço tal sítio?
Averell

Cão disse...

Mariza? Mariza? Da-se, que por causa dessa gaja é que também odeio o natal-altifalante...

Cão Himmler disse...

Tirando isso, só um 11 de setembro em janeiro contra os judeus, esses porcos.

Anónimo disse...

EU A MIM É MAIS OS POETAS,quando vejo um fico de cabelo hirsuto e saco da pistola. raça daninha.


Belo Zebú

Cãomões disse...

eheheheheheh