10/11/08

Psicopatolgia Política, por LSD

Já o velho Freud falava nas percepções alucinadas da realidade. Quando a realidade é frustrante e decepcionante, o doente perturbado e incapaz de aceitar que o mundo não se subordina aos seus desejos, acaba por viver num mundo literalmente ficcionado. Alguns exemplos de percepções alucinadas da realidade:O doente mental não aceita que um ente querido tenha desaparecido e teima que se encontra com ele todos os dias à hora do café. Ninguém o convence que está sozinho à mesa. Esta percepção do real é uma forma de alienação: o doente foge ao real e refugia-se no seu próprio universo autista onde não existem resistências aos seus desejos.

Milu rodrigues e zé socras são dois casos típicos que encaixam como uma luva nesta noção de percepções alucinadas da realidade. Também eles teimam em recusar a realidade que teima em fugir-lhes ao controlo. Milu rodrigues disse na sic que não se podia contabilizar o descontentamento dos professores pelo número (assombroso!)dos 120 00 docentes que sairam à rua. Essas coisas não se medem assim. Então como é que se medem?, perguntou o estupefacto jornalista. Contam-se «administrativamente«(sic), pelo número de escolas que são a maioria que continua o proceso de avaliação. Mas os profs da manif são os mesmo das escolas e estão na rua a pedir a sua demissão, lembrou o jornalista. Pois, mas não conta, o que vale são os números oficiais das escolas que continuam a fazer a avaliação. Ou seja, é a típica lógica retorcida de uma mente alucinada. O princípio é simples: se a realidade é desmentida pelos números administrativos, então suprima-se a realidade! A ficção passa a ser a realidade e arealidade a ficção.

Zé socras revelou também traçosdeste tipo de personalidade alucinada a propósito do mesmo caso da manif dos profs. Embora, é certo, se tivesse expressado de uma forma mais subterrânea e enviesada. O homem não percebe porque é que o processo de avaliação dos professores correu bem o ano passado e este ano não (sic). Aqui trata-se simplesmente de uma MENTIRA. Socras sabe que o modelo de avaliação que está em vigor actualmente não é, nem de longe nem de perto, o mesmo que o ano passado serviu para avaliar uma parte (e só uma parte) dos docentes contratados. É inteiramente diferente: são outros paéis, outro modelo, é tudo diferente. Mas não se coibiu de afirmar que é o mesmo. Mente, uma vez que sabe que se tratam de coisas inteiramente diversas. Neste caso a estratégia alucinada é básica: a mentira sempre foi a forma mais ordinária de negação da realidade.

Nos dois casos, tanto milu rodrigues como zé socras (perdoe-se-me o tratamento, mas já não consigo tratar estes personagens como ministros, perdi-lhes todo o pouco respeito que ainda lhes podia ter)não fazem mais que aplicar no discurso político o velho princípio da lógica alucinada, de que falava Freud. Quando Galileu Galilei mostrou através do seu telescópio que afinal a superfície da lua era feita de rocha e de calhaus como a da terra e não de uma matéria celestial diferente, houve um inquisidor que se recusou a olhar por tal diabólico aparelho. Socras e milu estão na mesma, recusam-se a olhar para os factos indesmentíveis que e passam mesmo à frente dos respectivos narizes. São, afinal, um e o mesmo caso da mesma lógica junkie retorciada que enuncia lapidarmente: se a droga te prejudica os estudos... deixa de estudar.

2 comentários:

Anónimo disse...

o velho freud, com estes dois, tinha assegurada a sua subsistência. pelos menos podiam ser inteligentes na forma de justificar: nem isso. pobre país que tem alimárias assim. o que eu pergunto, insistentemente, é: mas que raio de professores é que estas aventesmas tiveram? ah, já sei, não iam às aulas e aquilo do certificado era tipo farinha amparo

Y

Vaquista disse...

Boa malha. Não sou prófe, sou apenas pai e cidadão atento, mas nesta luta tou com os prófes. Bibá luta dos prófes!

Novas de última hora no Público Online:

«Os professores da Escola Secundária Infanta D. Maria, em Coimbra, suspenderam a avaliação de desempenho e, quinta-feira, realiza-se nesta cidade uma reunião de conselhos executivos do distrito para uma posição conjunta sobre o processo - revelaram hoje vários responsáveis.

Segundo a presidente do conselho executivo da Escola Secundária Infanta D. Maria, Maria do Rosário Gama, os professores deste estabelecimento, o primeiro do sector público com melhor média na primeira fase dos exames nacionais, decidiram, por unanimidade, suspender o processo de avaliação do desempenho até o modelo ser revisto, tendo assinado um documento nesse sentido.

Entretanto, está prevista para quinta-feira, na Escola Secundária da Quinta das Flores, em Coimbra, uma reunião de conselhos executivos de escolas do distrito para "uma tomada de posição conjunta acerca do processo de avaliação, nomeadamente pedindo a suspensão do modelo" - disse hoje o presidente do conselho executivo deste estabelecimento.

Também nesta escola, e ainda antes da manifestação nacional de sábado passado em Lisboa, foi subscrito um abaixo-assinado por 114 dos 115 dos professores do estabelecimento, pedindo a suspensão do processo - adiantou Sobral Henriques. "Espero que a ministra da Educação tenha o bom senso de ouvir as escolas e os docentes", vincou o presidente do conselho executivo da Secundária da Quinta das Flores.(...)»